ANGELA WEISS/ AFP
ANGELA WEISS/ AFP

A caminho do Oscar 2019

Acompanhe a disputa, que começa agora, pelo prêmio mais cobiçado do cinema

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

10 de janeiro de 2019 | 11h32


Caro leitor,

Iniciamos agora uma viagem pelo mundo do cinema, com previsão de término no fim de fevereiro: o caminho do Oscar 2019. O mais badalado prêmio da sétima arte atrai a atenção de fãs do mundo inteiro e o Estado, como já acontece regularmente desde 2004, estará em Los Angeles para acompanhar in loco todos os detalhes da festa. 

Até lá, as discussões sobre os prováveis vencedores vão agitar os cinéfilos e a Academia de Hollywood, com um olhar afiado para os negócios, transformou o mês de janeiro em um aperitivo para o Oscar, prevendo ali as grandes premiações do cinema americano – do Globo de Ouro, que habitualmente puxa a fila, à escolhas do Sindicato dos Atores, que praticamente crava quem serão os vencedores da Academia. Sem se esquecer das premiações internacionais como Bafta (inglês), Goya (espanhol) e Cesar (francês). Um esquenta que culmina com a grande festa de Hollywood, no dia 24 de fevereiro – uma festa que promete ser diferente, pois não deverá contar com apresentador oficial, depois da desistência do comediante Kevin Hart.

É um mês de festas e idolatrias à própria indústria, mas, mesmo assim, é irresistível. Os vestidos mais finos e extravagantes, os discursos mais surpreendentes, as gafes, as falas políticas, tudo contribui para aumentar o anedotário que, como era de se esperar em Hollywood, existe para gerar mais lucro.

Quem sempre dá o tom inicial é o Globo de Ouro, o prêmio concedido pela Associação de Correspondentes Estrangeiros em Hollywood e cuja cerimônia aconteceu no domingo, dia 6. Como o próprio nome diz, trata-se de um eleitorado específico (jornalistas de outros países sediados nos EUA e que cobrem notícias de Hollywood), totalmente diverso daquele que elege o Oscar, formado por quase 10 mil artistas das mais diversas áreas e de várias partes do mundo – inclusive no Brasil. Assim, o que a história vem mostrando é que dificilmente os vencedores do Globo de Ouro recebem a dourada estatueta do Oscar. Veja alguns momentos da cerimônia no vídeo a seguir

Mas o Globo é um ótimo sinalizador sobre o humor da classe artística do cinema americano. No ano passado, por exemplo, quando as mulheres reivindicavam respeito e denunciavam o assédio sexual que sofriam havia anos de atores, produtores e diretores, todas compareceram à cerimônia vestindo apenas preto, como relatou o Estado na época. 

A determinação feminina foi tamanha que o ator Casey Affleck, acusado de assédio, recusou participar da cerimônia do Oscar do ano passado e James Franco, confiante por ter levado um Globo de Ouro no início de 2018, compareceu todo sorridente à festa do Sindicato dos Atores, mas, depois de recebido por palmas burocráticas e um silêncio glacial, seu constrangimento era evidente – nenhuma mulher ali o perdoava pela acusação de comportamento inapropriado. 

Quer ver como foi? Veja detalhes nesse vídeo.

Neste ano, a festa foi mais amena: as mulheres retomaram as cores nos vestidos e os discursos carregavam um tom não tão político. A maior surpresa, no entanto, é que dessa vez parece que as escolhas do Globo poderão ecoar no Oscar. Afinal, o mexicano Alfonso Cuarón já desponta como favorito às estatuetas de melhor diretor e melhor filme estrangeiro, com seu maravilhoso Roma. Um filme visceral, como reconheceu em entrevista exclusiva ao Estado

Também Glenn Close ganhou pontos e poderá, finalmente, receber o Oscar de melhor atriz pelo cuidadoso trabalho em A Esposa. Depois de muito disputar e nunca vencer, a veterana de 71 anos é cética: “Sou uma ianque. Não acredito em alguma coisa antes de ela acontecer”, disse ela, em recente entrevista.

E, prova concreta de que a Academia já se rende aos blockbusters, Bohemian Rhapsody está bem posicionado na bolsa de apostas para terminar a noite como melhor filme e com o melhor ator (Rami Malek). As respostas, só na noite do dia 24 de fevereiro. Até lá, continuaremos aqui nossa viagem, contando detalhes, por exemplo, do cuidadoso esquema de segurança que envolve essa cerimônia – nós, jornalistas, por exemplo, somos proibidos de fotografar nossa credencial antes do fim da festa. Já a lista de indicados ao Oscar 2019 só será conhecida no final de janeiro. 

 

Tudo o que sabemos sobre:
cinemaOscar [prêmio de cinema]

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.