A briga dos ´eus´ feminino e masculino de Clodovil

"Estou sem trabalho e sem dinheiro." A declaração de Clodovil Hernandes, o estilista mais polêmico do País, explica a nova guinada que deu à sua carreira. Em agosto do ano passado, internou-se em um hospital para realizar uma abdominoplastia -e acabou descobrindo um câncer na próstata. "Ainda no hospital, me veio a idéia de escrever um monólogo sobre a minha vida", conta Clodovil. Monólogo que acabou se transformando no musical Eu e Ela e estréia hoje, às 21h30, no Teatro Brigadeiro. Sob direção de Elias Andreato, o ex-apresentador do programa A Casa É Sua, da Rede TV, levará ao palco parte de sua biografia. O título do espetáculo representa "a briga do meu eu feminino com o meu eu masculino, que tenho desde pequeno", explica Clodovil, que hoje está com 70 anos. No palco, vai representar personalidades femininas, como Carmen Miranda e Billie Holiday. Cinco bailarinas desfilarão modelitos inéditos criados pelo estilista, especialmente para o espetáculo, e um casal irá contracenar com Clodovil em esquetes que contarão um pouco de sua história. Além disso, ele irá declamar poemas, alguns dos quais são de autoria de Drummond e Hilda Hilst, e cantar músicas como Tatuagem, Gracias a La Vida e Ne Me Quitte Pas. Clodovil, que considera Chico Xavier a única pessoa boa que conheceu no mundo ("a literatura dele é horrorosa, mas o subtexto é muito valioso"), vai se candidatar a deputado federal pelo Partido Trabalhista Cristão, na eleição do dia 1º de outubro. "Quero montar o monólogo Cecília, Você e Eu, para tratar sobre a literatura de Cecília Meirelles após as eleições. Porque depois que eu for deputado, não vai fazer sentido eu atuar como mulher no palco", diz. Eu e Ela. 80 min. 18 anos. Teatro Brigadeiro (676 lug.). Av. Brig. Luís Antônio, 884, 3107-5774. 5ª e sáb., 16h e 21h; 6ª, 21h; dom., 18h. R$ 40 e R$ 50 (sáb.). Até 26/3. Estréia hoje, 21h30

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.