A Bíblia e Shakespeare viram mangá no Reino Unido

A febre crescente no Reino Unido dos mangás, histórias em quadrinhos de estilo japonês, está inspirando algumas editoras a produzirem versões em mangá de peças de William Shakespeare e até mesmo da Bíblia. Artistas britânicos se aventuram a recriar os quadrinhos tradicionais japoneses e a demanda por cópias em inglês de mangás como Fruit Basket e Astro Boy vem aumentando vertiginosamente. "O cenário dos mangás no Reino Unido está em ascensão", disse o artista de quadrinhos John Aggs, que no início de março venceu um importante concurso de desenho de mangás no Reino Unido e na Irlanda organizado pela editora Tokyopop. "É o exotismo dos mangás. O Japão fica muito longe, é moderno, tem muitas luzes de néon e atrai as pessoas", disse Aggas, vencedor do concurso Estrelas Ascendentes do Mangá. No Japão, a arte satírica data dos tempos medievais. Mas a palavra mangá, que significa literalmente "desenho extravagante", costuma ser vinculada ao xilogravurista japonês do século 19 Katsushita Hokusai, que a usou para descrever seu trabalho. O mangá ganhou seu significado moderno, que descreve todo um gênero de arte animada japonesa, no início do século 20, quando artistas japoneses sofreram a influência de histórias em quadrinhos políticas importadas dos EUA e da Grã-Bretanha. O estilo começou a fazer sucesso real após a 2.ª Guerra Mundial, graças ao trabalho de Osamu Tezuka, também conhecido como "o deus do mangá", que criou personagens ícones como Astro Boy. Boom do mangá A popularidade do mangá vem inspirando editoras a empregar o gênero para alcançar um público novo. David Moloney, diretor editorial de livros cristãos da editora Hodder & Stoughton, decidiu lançar a primeira versão da Bíblia em mangá, em inglês. O ilustrador Siku, de Londres, conhecido por desenhar o personagem Judge Dredd na HQ britânica 2000 AD, foi contratado para fazer a arte. Ele criou o Novo Testamento em mangá, que foi publicado em fevereiro na Grã-Bretanha, e está desenhando uma Bíblia inteira em mangá, com lançamento previsto para julho. A editora Doubleday pretende lançar a Bíblia em mangá nos EUA em 2008. "O mangá é a mídia perfeita, porque é dramática e visual", disse Emma Hayler, diretora da editora Metro Media, que criou o conceito de peças do escritor William Shakespeare em mangá, dois anos atrás. Versões dos clássicos Romeu e Julieta e Hamlet em mangá foram lançadas no Reino Unido no último dia 10. De acordo com Hayley, elas também serão publicadas nos EUA e no Japão. As próximas obras de Shakespeare serão A Tempestade, Ricardo III e Sonho de Uma Noite de Verão. O objetivo da editora é publicar todas as peças do famoso escritor em mangá.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.