A beleza de Greta Garbo, em fotos de coleção particular

O Museu do Cinema (Filmmuseum), em Frankfurt, apresentou hoje uma seleção de imagens de fotógrafos como Arnold Genthe, Edward Steichen, George Hurrell e Clarence Sinclair Bull, realizadas entre 1924 e 1948 nas produções cinematográficas protagonizadas pela atriz.A mostra, organizada pelo Museu Santa Bárbara, na Califórnia, poderá ser vista pela primeira vez na Europa a partir desta terça feira até o dia 7 de maio e tem grande relevância porque existem poucas imagens da atriz, já que a diva sueca apenas concedeu entrevistas e posou para determinados fotógrafos.Greta Garbo nasceu em Estocolmo em 18 de setembro de 1905 com o nome de Greta Lovisa Gustafsson e logo se tornou umas das artistas mais famosas do século XX.O sobrinho neto da estrela Scott Reisfield disse hoje à imprensa, durante a inauguração da mostra, que encontrou as fotografias de Greta Garbo no sótão da casa de sua mãe. Reisfield afirmou que não há uma boa biografia de sua tia avó e que algumas das informações publicadas sobre ela não são seguras.Os retratos da exposição foram usados em seu tempo, principalmente, como anúncio para filmes, e são uma fonte de documentação importante sobre uma atriz que sempre se recusou a falar sobre sua vida particular à imprensa e evitava fotógrafos.Contudo, a atriz guardou suas fotografias favoritas usadas na promoção de filmes, especialmente as de Clarence Sinclair Bull na filmagem de Mata Hari em 1931.Agora Reisfield compilou estas imagens e outras familiares de caráter particular, assim como cartas em um livro que retrata de maneira exaustiva a vida Greta Garbo desde o começo na Suécia até seus últimos anos em Nova York.Além das imagens, a exposição apresenta fragmentos em versão original de filmes em que a atriz foi protagonista, tanto no cinema mudo quando sonoro, entre elas se encontram Anna Karenina (1935) e Ninotchka (1939). O Museu também organizou um ciclo cinematográfico em que exibe quatorze filmes protagonizados por Greta Garbo.BiografiaA carreira profissional de Greta Garbo, que se iniciou na adolescência, em 1922, dois anos depois da morte de seu pai, começou a popularizar-se na Suécia em 1924 com a direção de Mauritz Stiller.Um ano depois, o produtor alemão Louis B. Mayera levou para Hollywood, onde se consolidou como uma beleza nórdica e fria em filmes como Mulher Divina (1928) e O Beijo (1929).Posteriormente, ela passou do cinema mudo para o sonoro no filme Anna Christie(1930) que foi comercializado com o lema "Garbo fala", já que permitiu ao público escutar sua voz pela primeira vez, até então ela não havia concedido nem entrevistas de rádio.A atriz sueca tornou -se a mais bem paga dos anos trinta e em 1941, com 36 anos de idade, rodou seu último filme Duas Vezes Meu, dirigido por George Cukor. Ela foi uma das primeiras atrizes a começar a atuar com o método de interpretação de estúdios, que os atores de Hollywood utilizam atualmente. Ela viveu em Nova York até sua morte em 15 de abril de 1990.

Agencia Estado,

06 de fevereiro de 2006 | 16h21

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.