8.º Salão de Arte e Antiguidades abre suas portas

Começando com uma sala de 125 metros quadrados, as organizadoras do Salão de Arte e Antiguidades, Ariane Juliani e Vera Chadad, conseguiram ampliar de forma impressionante o evento, que neste ano chega a sua 8.ª edição e ocupa um espaço de 3.500 metros quadrados. Ao todo, são 85 expositores com estandes - entre antiquários, galerias, casas de leilões e joalherias - que poderão ser visitados de hoje até o dia 26, no clube Hebraica.A cada dois anos as organizadoras escolhem uma entidade para ser beneficiada com a renda arrecadada nas bilheterias do evento e agoar será a vez da AACD (Associação de Assistência à Criança Deficiente). A bilheteria da noite de estréia ficará sob os cuidados de voluntários da própria entidade, que se encarregarão de recolher a renda obtida, informando apenas o número de visitantes.A novidade do 8.º Salão de Arte e Antiguidades é a criação de três salas especiais: uma dedicada ao Clube da Gravura do Museu de Arte Moderna de São Paulo; outra intitulada Modernidade, com móveis e objetos criados entre 1930 e 1960; e uma terceira sobre arte popular brasileira, que reúne 150 obras selecionadas por Roberto Rugiero.Outra atração paralela serão as homenagens feitas diariamente a nove países ou regiões: França, Portugal, Itália, Israel, Alemanha, Japão, Estados Unidos, o próprio Brasil, Espanha e a América Latina. O restaurante Dinho´s Place vai preparar cardápios típicos e a importadora Expand oferecerá degustações das bebidas tradicionais dos homenageados. No lounge do salão, que contará com peças arqueológicas sul-americanas, serão exibidos vídeos sobre cada um dos locais homenageados. "Nossa intenção é conseguir realizar um salão internacional, trazendo obras de arte e galerias do mundo inteiro", diz Ariane.Os expositores são de todo o Brasil, exceto os convidados especiais Livio Spiegler - Livros e Papéis Raros, de Paris; a Galeria Sur, do Uruguai; e o antiquário Grazziano Gallo, da Itália. O evento também contará com monitores que acompanharão as visitas do público. "Queremos mudar um pouco a cara do salão que não será só de vendas, mas terá, também, a sua parte cultural. Os colecionadores virão com certeza, mas, para o público geral, também pode ser um espaço de lazer", conclui Vera.Salão de Arte e Antiguidades. De segunda a sexta, das 15 às 22 horas; sábado e domingo, das 12 às 22 horas. R$10,00. A Hebraica. Rua Doutor Alberto Cardoso de Melo Neto, 115, tel. 818-8800. Até 26/8. Abertura hoje, às 18h30, com ingressos de R$ 100 a R$ 300.

Agencia Estado,

16 de agosto de 2001 | 14h29

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.