Fernando Louza
Fernando Louza

46ª edição da SP Fashion Week destaca nova geração da moda

Evento que começa hoje à noite reúne nomes consagrados do mercado nacional e apostas, como as recém-lançadas marcas Korshe 01 e Mipinta

Maria Rita Alonso, O Estado de S.Paulo

21 Outubro 2018 | 08h20

A semana de moda nacional vive uma era de extremos. Com início hoje, a 46ª edição da São Paulo Fashion Week acontece até a próxima sexta, 26, em dois novos endereços: o espaço Arca, na Vila Leopoldina, e o Farol Santander, no centro da cidade. De um lado, uma elite de estilistas consagrados, como Reinaldo Lourenço, Glória Coelho e Patrícia Viera, e as grandes marcas consolidadas com lojas por todo o Brasil, como Animale, Osklen e a estreante Bobstore. Do outro, marcas muito jovens, como a Korshe 01 e a Mipinta, com menos de um ano de vida, vendendo online, apenas sob encomenda e sem planos de negócios formais. Comandadas por novos empreendedores, elas ganham destaque no line-up compondo o projeto Estufa. “Tudo está mudando. A tecnologia da informação, os processos, a moda também precisa se reinventar”, afirma Paulo Borges, que completa 22 anos à frente da direção criativa da maior fashion week do País.

Essa inclusão de novas marcas na programação poderia ser lida como um apelo para atrair os jovens para os desfiles, mas a história é outra. O Estufa é o principal atrativo para grandes patrocinadores do evento – como uma rede bancária, por exemplo. Para, literalmente, se manter, a moda precisa se apoiar em outros assuntos e preservar sua chama viva. O espírito do tempo clama por pequenos negócios e o empreendedorismo está na moda - em meio a uma crise econômica e desemprego beirando os 12%, ele sugere uma luz no fim do túnel. Mais robusto, com mais desfiles, palestras e exposições, o Estufa levanta o assunto recebendo pessoas e ideias que representam o futuro. “O SPFW é uma plataforma de criatividade, de liberdade, e acho saudável que tenha essa pluralidade”, conta Paulo. “Nosso discurso político no sentido do pensamento está posto. Estamos falando de transpor, de ir além”, completa o fundador do evento.

A grife Lilly Sarti abre o SPFW N46 hoje à noite no Centro. Fundada há 12 anos, participa de sua oitiva SPFW, onde vem depurando seu estilo e seus negócios. “Estamos mais maduras como pessoas e isso está muito nítido na roupa. Ela ainda veste uma garota de 20 e poucos anos, mas também a mulher de 30 e a mãe dela”, afirma Lilly, que conta com mais de 60 pontos de venda no Brasil.

Colaboraram: Anna Rombino e Sergio Amaral

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.