25.ª Bienal confirma público recorde

A 25.ª Bienal Internacional de São Paulo, que terminou no domingo, confirmou a estimativa de recorde de público. Foram 668.428 pessoas em menos de três meses que a mostra ficou aberta ao público. O número é superior aos cerca de 500 mil visitantes da 23.ª edição, até agora a recordista de público. Do público que compareceu ao Ibirapuera desta vez, cerca de 350 mil eram estudantes das redes pública e particular.Esta foi a primeira vez que a Bienal Internacional de São Paulo não exibiu o núcleo histórico. A reunião de obras de artistas consagrados sempre foi vista como o maior chamariz de público para a bienal. Esta edição, com o tema Iconografias Metropolitanas e pela primeira vez sob curadoria de um estrangeiro, o alemão Alphons Hug, atraiu mais pessoas ao pavilhão Cicillo Matarazzo do que todas as edições anteriores. O último dia recebeu um público acima da média, que foi de 8 mil pessoas por dia. Aberta desde 23 de março, a 25.ª Bienal reuniu 190 artistas de 70 países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.