19.ª Bienal do Livro de São Paulo espera público recorde

Com investimento de R$18 milhões, dos quais R$2 milhões em campanha publicitária, a 19.ª Bienal do Livro de São Paulo abre as portas no dia 9 e vai até o dia 19, no Parque de Exposições do Anhembi, em São Paulo. O objetivo do evento é estimular as vendas do mercado editorial, que já vêm crescendo. No ano passado, as vendas de livros no País alcançaram cerca de R$ 2,7 bilhões - o número foi de R$ 2,5 bilhões em 2004. É um setor em expansão, apesar dos avanços das novas tecnologias. Em 2004, foram vendidos 288,6 milhões de livros no Brasil, 12,5% acima do número registrado em 2003.Para o vice-presidente da Câmara Brasileira do Livro (CBL), Marino LobelloLobello, as editoras estão conseguindo atrair cada vez mais novos leitores. Hoje, o índice de leitura do brasileiro é de 1,5 livro per capita por ano, muito baixo quando comparado à média mundial de 10 livros - e que chega a 20 livros por habitante por ano em países como a França. Portanto, há um espaço de crescimento para esse mercado.E que ninguém duvide, diz Lobello, da força do livro. A expectativa é que o número recorde de 800 mil pessoas percorram a feira, que reunirá 320 expositores e 900 selos editoriais. Serão lançados três mil títulos e expostos mais de 1,5 milhão de livros. A Bienal espera provar que o livro ocupa um lugar de destaque na cultura e na vida nacional.

Agencia Estado,

07 de março de 2006 | 13h40

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.