15ª Casa Cor propõe luxo e aconchego

A 15.ª edição da Casa Cor mostra que, ao contrário do que se esperava, não entramos no século 21 vivendo como os Jetsons, os personagens do conhecido desenho animado de Hanna Barbera. "A tendência é o oposto. É a humanização dos espaços", diz Roberto Dimbério, diretor da maior feira de decoração do País. "As pessoas querem viver em ambientes que agradem a todos os sentidos." Materiais como o couro e as fibras naturais, agradáveis ao olhar e ao tato, estão em alta - e são usados até para revestir paredes. "Tecidos como o shantung de seda recebem uma película sintética no verso e podem ser aplicados como papel de parede", explica a decoradora Camilla Matarazzo. São poucos os ambientes high-tech da Casa Cor. Em vários dos 60 ambientes da mostra, tecnologia e tradição convivem harmonicamente. A madeira "quebra" a frieza do aço e do vidro, bastante usados em banheiros e cozinhas e também presentes em salas e quartos. A combinação clássica de preto e branco, modernizada pelo uso do vermelho em móveis e objetos, é apontada como tendência por vários dos participantes. Também é tendência o uso de acrílico colorido, que aparece em móveis (gaveteiros, por exemplo) e objetos utilitários (como revisteiros e relógios). A estética oriental não é novidade na feira, mas ainda inspira vários projetos. É freqüente o uso de biombos, de tecidos e objetos japoneses, chineses e indianos. Os móveis baixos estão na moda e são usados mesmo em ambientes nada orientais, como a garagem moderninha criada por Brunette Fraccaroli - talvez o ambiente mais ousado da Casa Cor 2001. Brunette propõe que o espaço de guardar o carro seja aproveitado também para outros fins: que sirva de escritório, de local para receber os amigos e até de cozinha. A garagem é equipada com telão, som, computador, geladeira, fogão e uma sala de banho - para o carro, no caso - acionada automaticamente. "Pensei num rapaz louco por sua Maserati", diz a decoradora, "que passaria os dias em torno do carro". A garagem de Brunette abriga até mesmo um aconchegante sofá, para que o rapaz "possa nele receber a namorada". Resta saber se, apaixonado pelo carro, ele terá outros interesses.Casa Cor 2001. De amanhã a 8 de julho, de terça a domingo das 11 às 20h30. (Rua Manoel de Góis, 157. Tel.: 3845-3869)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.