14 artistas recriam o espaço em "Galpão 15"

A mostra Galpão 15, que será inaugurada amanhã num grande depósito vazio próximo à Ponte do Morumbi, é resultado de um projeto bem-sucedido de encontro entre 14 artistas e uma curadora, Georgia Lobacheff, preocupada mais em estimular o potencial criativo do grupo do que emdefinir rígidos contornos temáticos que conduzissem a exposição.O resultado é uma combinação bastante interessante de diferentesexpressões visuais que se unem em torno de uma questão comum: ainvestigação do espaço.Os diálogos são múltiplos e se dão por diferentescaminhos. Obras como o cubo que João Carlos de Souza desenha comlinhas fosforescentes dentro de uma sala negra, o labirintovisual que Stela Barbieri criou com lá de carneiro e oimpressionante jogo de equilíbrio de Edith Derdyk partem todosde um desejo de afirmar a linha no espaço, de definir umaescultura a partir de um desenho no ar. Mas enquanto os doisprimeiros têm uma certa dificuldade em afirmar-se em relação àforças potentes como a da gravidade, Edith se impõe com toda aforça como o grande centro gravitacional da mostra, em sintoniae contraste com as esculturas de Fernando Vilela. Outrosparalelos se estabelecem, reforçadas pela proximidade física,como no caso de Sonia Guggisberg e Renata Pedrosa.Porém, mais além dessas aproximações inevitáveis emmostras coletivas - ainda mais reforçadas neste caso pelo desejode buscar a liberdade expressiva -, é interessante notar como aidéia de atuar no espaço, de questionar a relação do homem comseu entorno esteja no cerne de uma vertente importante daprodução contemporânea, seja, por exemplo, na fotografia deDenise Adams ou na instalação de Cláudio Cretti. Os trabalhos deAdalgisa Campos, Flavia Vivacqua, Marcus Vinicius, Mauro deSouza, Wagner Malta Tavares e Marcelo Zocchio estão lá paraconfirmar.Outro aspecto interessante desse projeto coletivo é odesejo de fazê-lo acompanhar de um processo de reflexão. Paraisso, foram convidados alguns críticos para discutirinformalmente os trabalhos em encontros com os artistas e opúblico. A presença de Lorenzo Mammì já está confirmada para opróximo dia 14. Também foi montado no local uma sala onde serãocomercializados trabalhos em pequenas dimensões e a rendaarrecada será usada para financiar o lançamento de umapublicação sobre o projeto.Projeto Galpão 15. Diariamente, das 10 às 16 horas.Local: Rua Prof. José Leite Oiticida, 237, Brooklyn. Até 15/12.Abertura, amanhã (23), às 11 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.