DENIS CHARLET / AFP
DENIS CHARLET / AFP

10 boas notícias: confira seleção da semana para ler em tempos de coronavírus (até 30/5)

CONTEÚDO ABERTO PARA NÃO-ASSINANTES: Parcerias entre empresas e ONGs; manifestações de carinho; doações de todo tipo. Ainda é possível acreditar

Marina Vaz, O Estado de S.Paulo

30 de maio de 2020 | 05h00

Pelo sonho da filha, um homem improvisou uma cerimônia de formatura no gramado de casa. Com saudade dos alunos, uma professora tricotou bonequinhos representando as crianças. O afeto vive nos pequenos gestos.

1. Dentro da bolha. Um lar para idosos na cidade de Bourbourg, no norte da França, encontrou uma saída criativa para que os moradores de lá continuassem recebendo visitas mesmo durante a pandemia e o isolamento social. Nos jardins da instituição, foi instalada uma espécie de barraca, com entradas independentes e opostas – uma para o residente, outra para o visitante. Dentro da estrutura, depois de passar por antessalas fechadas, os dois caminhos levam a um mesmo ambiente, dividido por uma camada plástica transparente. Dos dois lados, há cadeiras, pufes e até “janelas” que permitem a entrada da luz natural. É ali que o idoso e seu familiar podem se sentir mais próximos, se ver, conversar e acalmar as saudades do jeito que é possível – e, o mais importante, em segurança. As informações são da agência AFP.

2. Criatividade infantil. Uma iniciativa parecida foi feita, de forma bem mais improvisada, por uma menina de 10 anos da Califórnia, nos Estados Unidos. Como noticiou a rede de televisão ABC, Paige sentia muita falta de abraçar os avós. Com a ajuda da mãe, que é enfermeira, ela criou uma engenhoca usando cortina de chuveiro, sacos plásticos, pratos descartáveis e cola quente. O resultado, que ela chamou de “cortina do abraço”, foi fixado na porta da casa dos avós. Ao atender à campainha, eles se depararam com uma barreira plástica vedando a entrada de cima a baixo. Nela, havia “mangas” fechadas na pontas, em diferentes alturas, para que quem estava de um lado e do outro pudesse inserir seus braços. O esforço valeu a pena – e a criança ganhou vários abraços.

3. De mãos dadas. Uma parceria entre a companhia área Gol e a ONG Amigos do Bem vai garantir mais segurança a quem trabalha nos aeroportos e ainda gerar renda para moradoras da cidade de Catimbau, em Pernambuco. Costureiras ligadas à organização não governamental, que dá assistência a famílias do sertão nordestino, ficarão responsáveis por produzir 40 mil máscaras de tecido, que serão usadas pelos colaboradores da empresa.

4. Sala cheia. Uma professora da cidade de Haarlem, na Holanda, achou um meio bastante original de lidar com a saudade que sentiu de sua turma após a suspensão das aulas. Buscando referências na internet, ela decidiu criar bonecos de lã que representassem cada criança, como informou o site NH Nieuws. E ela tricotou cada detalhe: pôs a cor preferida de um em sua blusa; criou, com cuidado, a armação dos óculos de outro; nem as sardas de um dos alunos foram esquecidas. Após enviar uma foto com os bonecos para as famílias, cada estudante foi rapidamente identificado. Mas uma pergunta veio à tona: cadê a professora? Ela, então, atendeu aos pedidos e fez uma bonequinha de si mesma.

5. Cuidado espalhado. O Grupo Boticário acaba de doar 20 toneladas de álcool em gel para moradores de comunidades do Rio de Janeiro, assim como para profissionais que trabalham em suas unidades de saúde. Por intermédio do movimento voluntário União Rio, os produtos chegaram a regiões como São Cristóvão, Costa Barros, Complexo da Penha e Pavuna.

6. Em conjunto. Em meio à crise, o projeto Van Solidária, liderado pela empresa Grape/Global Eco, tem atuado em várias frentes. Já doou 500 protetores faciais para hospitais e mais de 2 mil cestas básicas na região metropolitana de São Paulo. Agora, a meta é entregar, até junho, mais 10 mil cestas e manter as mil marmitas semanais, distribuídas no Largo São Francisco, no centro de São Paulo.

7. Para dar um refresco. Profissionais da saúde, entregadores, bombeiros, coletores de lixo, crianças e idosos atendidos por projetos sociais. Para tentar deixar mais leve (e doce) o cotidiano dessas pessoas, a Bacio di Latte já doou quase 10 toneladas de sorvete – o equivalente a 100 mil copinhos – em diferentes Estados, como São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e Rio Grande do Sul.

8. Celebração caseira. Um homem que vive no Tennessee (EUA) ficou inconformado ao ver a filha, Gabrielle Pierce, de 23 anos, passar dias chorando após receber a notícia do cancelamento de sua formatura, por conta do isolamento social. Em frente à garagem de casa, ele montou um palco cuidadosamente decorado – com púlpito e tudo – para reproduzir a cerimônia. Ali, a jovem teve direito a beca, discursos, hino nacional e até plateia – os vizinhos saíram para assistir, cada qual em seu gramado; e os carros que passavam pela rua desaceleraram para dar parabéns à formanda. É o que conta o site ABC News.

9. Bom para todos. A DuLocal, voltada a refeições 100% orgânicas, criou uma campanha para alimentar famílias, apoiar pequenos produtores e criar um fundo de apoio a cozinheiras e motoboys parceiros, afetados pela crise. Com a arrecadação, já foram distribuídos 16 mil pratos para moradores de Paraisópolis. A meta é entregar 300 marmitas por dia (para ajudar, acesse aqui).

10. Pela saúde. A Aché Laboratórios Farmacêuticos acaba de anunciar a doação de espirômetros, usados para medir o fluxo de ar nos pulmões, para dez hospitais públicos brasileiros. A empresa já doou o equivalente a R$ 5 milhões, entre apoio a pesquisa, medicamentos, EPIs, álcool em gel e testes para covid-19.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.