José Méndez/EFE
José Méndez/EFE

10 boas notícias: confira a seleção da semana para ler em tempos de coronavírus (até 4/7)

A solidariedade segue em alta, com doações de empresas e iniciativas particulares que exalam positividade

Ana Lourenço, O Estado de S.Paulo

04 de julho de 2020 | 05h00

Celebrar a cura da covid-19 e o aniversário de 100 anos ao mesmo tempo não é para qualquer um. Mas foi o que fez esta semana uma moradora dos EUA. Por aqui, a solidariedade continua em alta: iniciativas diversas, de organizações, empresas e particulares não param de crescer. Confira essas e outras notícias que aquecem o coração.

1. Robô contra o coronavírus. A empresa mexicana Roomie IT Services desenvolveu um robô capaz de interagir verbalmente com os humanos, além de medir a temperatura e o oxigênio no sangue, a fim de identificar os sintomas do novo coronavírus. Assim como nos filmes de ficção científica, o robô já opera em bancos, supermercados e, em breve, estará nos hospitais públicos mexicanos. De acordo com o site da empresa, quatro capacidades básicas foram criadas para que o Rommie Bot imitasse interações humanas: integração das informações e ativos já disponíveis, visão robótica (permite identificar o ambiente, os agentes ao seu redor e padrões de movimento), capacidade de se mover de forma autônoma e comunicação.

2. Recados do coração. Os usuários do aplicativo de relacionamento Badoo foram convidados a escrever palavras positivas pelo Brasil com a campanha “Não isole seus sentimentos”. Mais de mil mensagens de amor e carinho foram projetadas em nove cidades brasileiras entre os dias 23 a 25 de junho. Cada recado enviado foi convertido em uma doação de R$ 1 para o projeto Corona no Paredão, idealizado pela ONG Gerando Falcões. A ONG oferece um cartão digital com cargas de R$ 100 para ser usado por moradores de comunidades carentes pelo Brasil para que possam comprar os produtos de maior necessidade. O valor destinado tinha o teto de US$ 10 mil, aproximadamente R$ 50 mil, repassado integralmente como doação para a campanha. Segundo a assessoria do aplicativo, o Badoo tem a intenção de fazer novas iniciativas como essa no futuro. Para quem quiser doar nesse meio tempo, acesse: gerandofalcoes.com/coronanoparedao.

3. Informação à mão. Para ajudar os estudantes a se manterem informados e incentivar o hábito de leitura, o Estadão lançou a plataforma Estadão Incentiva, que dará acesso digital gratuito para estudantes de graduação, pós-graduação, mestrado e doutorado. A plataforma funciona como um videogame, no qual o leitor soma pontos a cada texto lido, comentado ou compartilhado. Ao cumprir uma quantidade determinada de tarefas, o jogador conseguirá renovar a assinatura por um mês, “passando de fase” – caso contrário, o usuário “perde uma vida” (todo usuário começa com três vidas). Saiba mais: assine.estadao. com.br/incentiva.

4. Foto do bem. A fim de ajudar os profissionais do audiovisual, a ONG Plano Sequência vende fotografias online no site planosequencia.ong.br. A organização criou uma galeria virtual com fotografias para a venda de impressões em alta qualidade. Todas são vendidas pelo mesmo valor (R$ 250), mesmo tamanho e mesmo papel. O pagamento é simples e efetuado no próprio site. Cada artista colabora com três fotografias – todo o lucro será doado para programas de ajuda a artistas. Com a primeira galeria, que continua no site, foram arrecadados R$ 230 mil, a serem doados para 580 famílias de profissionais do audiovisual afetados pela pandemia. A segunda galeria foi aberta na última terça (30).

5. Máscaras essenciais. Um grupo de entidades privadas lançou recentemente o Tudo de Máscara (tudodemascara.org.br), que conecta compradores e vendedores do produto. A plataforma concentra informações sobre a importância da proteção, de acordo com as recomendações internacionais de saúde, e não tem caráter lucrativo.

6. Comunidade. A ONG Alimentando o Bem já distribuiu 10 mil marmitas pelo Guarujá. O projeto criado pela empresária Emar Batalha, recentemente curada de covid-19, distribui 150 marmitas todos os dias e já conta com um cadastro, feito pela própria ONG, de mais de mil pessoas. Quem recebe os alimentos são, na maioria, família de pescadores, já que a pesca é a principal atividade local. Por conta do atual cenário da pandemia, muitos estão desempregados ou sem ganhos. Além das marmitas, a ONG tem planos de capacitar pessoas desempregadas da região. “Estamos montando uma sede onde teremos cursos ministrados por profissionais voluntários”, diz Ener.

7. Solidariedade online. A solidariedade tem se mostrado grande durante a época de pandemia. De acordo com o site de financiamento coletivo Vakinha, campanhas de arrecadação online relacionadas ao coronavírus já arrecadaram mais de R$ 15 milhões. Por isso, a plataforma criou uma página específica para as causas da covid-19 – os valores passaram de R$ 300 mil em doações mensais. Além disso, mais de 250 mil vaquinhas foram abertas desde fevereiro deste ano. Entre as campanhas estão fundos emergenciais para fins de alimentação e saúde, produção de respiradores, proteção a comunidades e pessoas carentes, auxílio a profissionais e pequenos empresários. Assim, o site chegou ao marco de 1 milhão de vaquinhas, contabilizando 2 mil novas campanhas por dia. Site: vakinha.com.br/tag/coronavirus.

8. Voo para a saúde. Até 31 de julho, a companhia aérea Azul transporta gratuitamente em seus voos profissionais da área da saúde. Para usufruir do benefício, é preciso apresentar identificação do Conselho Regional competente e declaração por escrito comprovando que o motivo da viagem se dá pelo cuidado de pessoas contaminadas ou com suspeita de covid-19. Site: voeazul.com.br.

9. Comemoração em dose dupla. Após vencer o coronavírus, Leora Martin pôde comemorar o seu centenário com direito a balões e videochamada com a família. “Leora não só venceu a covid-19, como também completou 100 anos neste sábado junto com sua irmã gêmea da Califórnia”, informou o asilo Greenleaf Helth Campus, no estado de Indiana, nos Estados Unidos. No passado, Leora se curou de um câncer, sobreviveu à Segunda Guerra Mundial e batalhou contra um quadro sério de pneumonia.

10. Ajuda musical. A União Brasileira de Compositores (UBC), em parceria com o Spotify, lançou a campanha Juntos pela Música com o objetivo de remunerar artistas que enfrentam dificuldades financeiras. Com cerca de R$ 1,6 milhão que já foi arrecadado, o fundo poderá socorrer mais de mil músicos, que receberão uma doação de R$ 1.600 divididos em quatro parcelas. O número de pedidos do auxílio já passa de 1.900. Para ampliar a ajuda, a UBC lançou a série Janela UBC, que convida artistas para uma série de lives produzidas no Instagram @ubcmusica, sempre a partir das 16 horas. Já participaram Gilberto Gil, Erasmo Carlos, Rogério Flausino, Teresa Cristina e Margareth Menezes, entre outros. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.