Reuters
Reuters

‘Yellow Submarine’ faz 50 anos e volta aos cinemas

Sucesso de público e de crítica, filme feito com má vontade pelos Beatles é restaurado e vai inspirar até história em quadrinhos

Carlos de Oliveira, O Estado de S. Paulo

15 Abril 2018 | 06h00

São insondáveis os mistérios do mar. Quem poderia imaginar que a 80 mil léguas de profundidade, junto aos corais e aos jardins de conchas feitos pelos polvos, pudesse existir uma cidade de amor, cores e música, onde todos eram felizes? Quem poderia imaginar a existência de Pepperland, onde a banda do Sargento Pimenta tocava sem parar? Somente um pedido de socorro nos trouxe esse paraíso à tona: Pepperland havia sido invadida pelos Maldosos Azuis, os Blue Meanies, que odiavam exatamente o amor, as cores, a música.

De volta às telas. O SOS foi lançado pelo prefeito de Pepperland, que encarregou o velho marinheiro Fred a navegar até o porto de Liverpool e pedir ajuda aos Beatles, que imediatamente partiram em missão de salvamento. Em um submarino amarelo. Em 2 de dezembro de 1968, nascia Yellow Submarine, desenho animado que agora completa 50 anos. Restaurado, será reexibido com pompa e circunstância numa imensa rede de cinemas norte-americanos ainda a ser anunciada, a partir do dia 8 de julho.

Os Beatles não estavam nada interessados no projeto da King Features, que já havia feito alguns curtas baseados na banda, no auge da Beatlemania e da invasão britânica nos Estados Unidos. Brian Epstein, o empresário ainda estava vivo e deu total liberdade à empresa cinematográfica para fazer um longa-metragem sobre os Beatles, bem aos moldes de Fantasia, de Walt Disney.

Desinteresse. O tempo foi passando e o trabalho, constantemente adiado. Brian morreu e quando tudo tendia a cair no esquecimento, a King Features lembrou aos Beatles que havia um contrato assinado com Brian e exigiram o seu cumprimento. A banda criou então a Apple Films e os músicos limitaram-se a compor seis músicas para o projeto e franquear seu catálogo de músicas. Jogaram tudo nas mãos do produtor George Martin e saíram de cena. Não acompanharam o roteiro nem a produção. Achavam Yellow Submarine um filmete primário. Proibiram que suas vozes fossem utilizadas pelos personagens.

‘Maldita trilha’. George Harrison disse à época que os Beatles tiveram apenas um ou dois encontros com a empresa. A George Martin coube a missão de organizar toda produção da trilha sonora, com o brilho que sempre caracterizou seu trabalho. Mas queixou-se: “Eles (os Beatles) agiram mais ou menos assim: está bem, vamos dar a esses caras a maldita trilha, mas sem nos estafarmos. Vamos colocar o que nos der na cabeça.” E assim foi feito.

+++ 10 curiosidades para matar a saudade de George Harrison

A trilha sonora foi então composta pelas músicas Yellow Submarine, Only A Northern Song, All Together Now, Hey Bulldog, It’s All Too Much e All You Need Is Love. A trilha orquestrada foi composta por George Martin, com as faixas Pepperland, Sea of Time, Sea of Holes, Sea of Monsters, March of the Meanies, Pepperland Laid Waste e Yellow Submarine in Pepperland.

Sucesso. Apesar de toda a má vontade, o filme foi um sucesso de público e de crítica. Hoje está colocado entre os 40 melhores desenhos animados já produzidos na história. E é exatamente por isso que seu aniversário de 50 anos será comemorado em grande estilo.

Para a sua reexibição nos cinemas americanos, Yellow Submarine foi restaurado em resolução digital 4k, embora nenhum software automatizado tenha sido usado, de modo a preservar a arte original, toda desenhada à mão.

Os elementos fotoquímicos do filme foram recuperados manualmente, quadro a quadro. A trilha sonora do longa (e a do álbum Yellow Submarine) foi remixada nos estúdios de Abbey Road, em surround 5.1 estéreo.

As vozes. Em 1968, a animação foi dirigida por George Dunning, em parceria com os escritores Lee Minoff, Al Brodax, Jack Mendelsohn e Erich Segal, além de uma equipe de desenhistas liderada por Robert Balser e Jack Stokes. Enquanto o filme apresentava os Beatles embarcando em uma odisseia pop art psicodélica para salvar o paraíso submarino de Pepperland, a banda esteve alheia a tudo. Proibida de usar as vozes dos Beatles, a produtora contratou um quarteto de atores para fazer os diálogos.

A voz de John Lennon foi feita por John Clive. A de Paul McCartney, por Geoff Hughes. A de George Harrison, por Peter Batten e Paul Angelis. A de Ringo Starr, também por Paul Angelis, que deu voz igualmente ao malvado líder dos Azuis. Os Beatles aparecem apenas no final do filme, numa rápida sequência de ação.

+++ 10 curiosidades sobre John Lennon

Novos projetos. As novidades em relação a Yellow Submarine, no entanto, não param por aí. A Apple Corporation acaba de anunciar uma parceria com a Titan Comics para produzir uma adaptação para quadrinhos do Yellow Submarine. O editor da MAD Magazine, Bill Morrison, foi escolhido para dirigir o projeto, que deverá ser lançado ainda este ano, mas sem uma data já prevista.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.