Reprodução/Globoplay
Reprodução/Globoplay

Woody Allen se defende de acusações de abuso sexual: 'é um erro'

Em entrevista ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, o cineasta também falou sobre a relação com os filhos

Redação, O Estado de S.Paulo

09 de fevereiro de 2021 | 12h06

O cineasta Woody Allen, de 85 anos, se defendeu de acusações de abuso sexual que ainda pesam contra ele em entrevista ao Conversa com Bial, da TV Globo. No programa, que foi ao ar na noite desta segunda-feira, 8, ele também falou sobre a relação com os filhos. Allen foi denunciado pela filha Dylan Farrow, então com sete anos, de tê-la molestado sexualmente, mas as acusações foram consideradas inconclusivas.

O diretor de cinema falou para Pedro Bial que essa história toda “é um erro”. Parte da história está registrada em seu livro Woody Allen: a autobiografia (2020). Ele disse que tentou ser o mais fiel possível aos fatos quando fez o relato. 

“Eu citei psiquiatras, juízes, investigadores, todos os envolvidos para não parecer que era eu dizendo algo (…) Quando era hora de estabelecer os fatos da narrativa, eu tentei usar as palavras de assistente social, testemunhas, empregadas”, pontuou.

Mesmo assim, Allen disse que foi “boicotado” pela editora Hachette, que se recusou a publicar o livro. “Eles estão cometendo um erro. A Hachette devia ter publicado, mas havia pessoas na organização que eram contra”, falou ao programa. 

O cineasta tem o mesmo sentimento em relação a atores que dizem se arrepender de ter trabalhado com ele ou que nunca trabalhariam. "Eles têm a impressão errada. Talvez um dia entendam isso, talvez não, eu não sei, mas essa é a minha perspectiva sobre isso”, disse.

Ao ser questionado sobre o #MeToo, movimento que expôs denúncias de abuso sexual contra mulheres da indústria cinematográfica, Allen falou que os “princípios básicos” da iniciativa são bons. “Eu sou a favor, desde que tenha certeza de seus alvos”. Ele virou um alvo do movimento quando Mia Ferrow, sua ex-mulher, relembrou as acusações de abuso sexual feitas contra ele no passado.

O cineasta também disse a Bial que ficaria muito feliz em reencontrar e restabelecer laços com os filhos Ronan, que apoia a irmã nas acusações, e Dylan. “Eu fui afastado deles, não tinha permissão para vê-los. Não falo e nem vejo os dois há 20 anos ou algo assim”, disse. “Acho que isso não vai acontecer, mas eu gostaria que acontecesse”.

Um documentário chamado “Allen vs. Farrow”, que fala sobre as acusações de abuso sexual contra Woody Allen, vai ser lançado no próximo dia 21 pelo canal HBO. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.