Wenders fala de morte e vida em 'Sob o céu de Palermo'

Filme conta a história de um fotógrafo alemão em viagem pela cidade italiana e homenageia Bergman

Flávia Guerra, enviada especial a Cannes,

08 de maio de 2024 | 09h28

Na penúltima manhã do 61º Festival de Cinema de Cannes, o olhar de Win Wenders sobre Palermo foi a principal atração. 'Palermo Shooting' concorre à Palma de Ouro e traz o cineasta alemão em mais uma de suas viagens por pequenas grandes cidades. O filme tem um quê de 'Sob o céu de Lisboa' e traz o melhor do olhar de Win Wenders, um diretor que consegue, como poucos, filmar cidades com carinho e transformá-las em personagens e não apenas em cenários. 'Além de Palermo ser uma cidade maravilhosa, cheia de nuances, a Itália também sempre foi símbolo de uma espécie de redenção para os alemães. Muitos turistas de lá vão para a Itália em busca do sol e de um espírito mais alegre', comentou Wenders em conversa com a imprensa nesta manhã. O filme dividiu opiniões. Excluídos os pontos positivos, como a bela fotografia em película, é fato que 'Palermo Shooting' tem problemas de ritmo e um roteiro um tanto quanto previsível. A 'redenção' vem em uma das últimas cenas, em que a Morte (muito bem interpretada Dennis Hooper), que perseguia o personagem principal durante todo o filme, literalmente dá as caras. 'A homenagem a Ingmar Bergman é clara aqui. Foi curioso porque exatamente enquanto eu filmava, ele morreu. Poucos dias depois Antonioni também morreu. E toda a população da cidade onde eu filmava se comoveu com a perda dos dois cineastas e vinha falar comigo sobre isso. É por isso que dedico o filme a eles', disse Wenders. Uma Palma de Ouro para Wenders seria pedir muito. Mas ele ainda conserva o seu encanto pelos temas que sempre tratou e pelo cinema clássico, tanto que filmou em película.

Tudo o que sabemos sobre:
CannesWin Wenders

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.