Wenders e Amos Gitai entram na disputa em Cannes

Wim Wenders, com Don´t come Knocking, e Amos Gitai, com Free Zone, entraram na disputa, nesta quinta-feira, pela Palma de Ouro do Festival de Cinema de Cannes, onde os prognósticos sobre os vencedores se acirram 48 horas antes do anúncio da premiação. Caché, filme francês do diretor alemão Michael Haneke, e Broken Flowers, do americano Jim Jarmusch, estão entre os favoritos apontados por revistas especializadas que diariamente publicam classificações dos filmes exibidos em Cannes com base nas notas dadas pelos críticos, mas nos corredores do festival, muitas preferências oscilavam para Last Days, de Gus Van Sant, e para Manderlay, do dinamarquês Lars Von Trier. De qualquer forma, estes prognósticos não levam em conta os três filmes apresentados nesta quinta-feira na disputa - Don´t come Knocking, Free Zone e o coreano A Tale of the Cinema, de Hong Sangsoo -, nem os que os críticos verão na sexta-feira, último dia da competição: The Tthree Burial of Melquiades Estrada, estréia do ator americano Tommy Lee Jones como cineasta, e Three Times, do taiwanês Hou Hsiao Hsien. Wim Wenders tem um caso de amor com Cannes, onde lançou treze de seus filmes e onde faturou a Palma de Ouro em 1984, com Paris, Texas. Desta vez, em Don´t Come Knocking, o cineasta alemão aborda um dos temas predominantes nesta edição: a paternidade. Estrelado por San Shepard e Jessica Lange, o filme conta a história de um ator decadente que teve dias de glória na época dourada dos westerns. Em plena crise existencial, foge das filmagens em que está trabalhando e se refugia na casa da mãe, que não via há décadas. Assim, toma conhecimento que é pai de um filho nascido de uma relação ocasional vivida anos atrás, e parte em sua busca. Coincidência ou tema da sociedade da nossa época, o desejo da paternidade quando a velhice se aproxima também é o tema do filme de Jarmusch. Em Free Zone, Amos Guitai sonha com a paz no Oriente Médio, através da uma história de mulheres. Todos os personagens centrais de seu filme são femininos. À frente do elenco está a americana Natalie Portman, em um papel muito, muito distante da princesa Amidala de Star Wars. A israelense Hanna Laslo, a palestina Hiam Abbass e a espanhola Carmen Maura completam o elenco. Free Zone, primeiro filme que o diretor israelense filmou parte em um país árabe, conta o insólito recorrido de três mulheres, uma israelense, uma americana e uma palestina, por Israel e a Jordânia. Uma viagem através da qual o diretor israelense mostra as várias vivências da realidade pelos personagens segundo o lado em que estão, as razões e sentimentos de cada um, e sonha com a possível concórdia onde hoje só existe conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.