Warner processa produtora indiana por filme de 'Hari Puttar'

Estúdio responsável pela série Harry Potter alega semelhança no título.

Da BBC Brasil, BBC

08 Agosto 2025 | 18h06

Os estúdios Warner Bros, que produzem os filmes da série Harry Potter, estão processando a empresa produtora de cinema indiana Mirchi Movies pelo filme intitulado Hari Puttar - A Comedy of Terrors. Segundo a revista The Hollywood Reporter, a Warner Bros afirma que o nome do filme indiano é muito parecido com os da série do bruxinho. "Nós iniciamos recentemente os procedimentos contra as partes envolvidas na produção e na distribuição de um filme intitulado Hari Puttar", disse à The Hollywood Reporter a porta-voz da Warner Bros, Deborah Lincoln. "A Warner Bros valoriza e protege os direitos de propriedade intelectual", afirmou. "No entanto, é nossa política não discutir publicamente os detalhes de qualquer processo litigioso em andamento." Há informações de que o caso irá a julgamento em Mumbai, onde fica a sede da Mirchi Movies. Microchip secreto Hari Puttar tem estréia prevista para 12 de setembro na Índia. O filme, dirigido por Rajesh Bajaj e Lucky Kohli, conta a história de um menino de 10 anos de idade que se muda para a Inglaterra com seus pais e acaba se envolvendo em uma batalha por um microchip secreto. Hari é um nome comum na Índia, e Puttar significa filho em Punjabi. "Nós registramos o título Hari Puttar em 2005 e é uma pena que a Warner tenha decidido iniciar um processo tão perto da estréia do filme", disse à The Hollywood Reporter o representante da Mirchi Movies, Munish Purii. "Eu não acho que nosso título tenha qualquer semelhança ou relação com Harry Potter", completou. Há duas semanas a Warner Bros anunciou que a estréia do novo filme da série, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, foi adiada em oito meses, para julho de 2009. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Mais conteúdo sobre:
cultura harry potter hari puttar warner índia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.