"Volver", de Almodóvar, vai tentar uma vaga no Oscar

"Volver", o premiado filme de Pedro Almodóvar, foi escolhido pela Espanha para concorrer a uma vaga entre os cinco finalistas do Oscar 2007, na categoria de melhor produção em língua estrangeira. A Academia de Hollywood anuncia os finalistas em janeiro e a cerimônia de premiação acontece no último domingo de fevereiro.No ano passado, Almodóvar, de 54 anos, deixou a Academia de Cinema Espanhola por conta de um desentendimento na escolha do filme que iria se candidatar a uma vaga no Oscar 2006."Estou extremamente feliz. É claro que nós temos a possibilidade de ganhar", declarou o cineasta à agência AFP."Volver", protagonizado por Penélope Cruz e Carmen Maura, conta a história de uma mãe que volta como fantasma para assombrar as filhas, em especial a que se afastou dela e está vivendo um momento complicado, pois matou o companheiro que tentou violentar sua filha. Há muitas surpresas na narrativa, a começar pela idéia da mulher-fantasma, que Almodóvar recolheu de tradições orais da região da Mancha, em que nasceu, mas que visita com intenções próprias e um desfecho inesperado. Almodóvar já ganhou dois prêmios no Oscar, um na categoria melhor filme estrangeiro por "Tudo Sobre Minha Mãe" (em 2000) e outro na categoria melhor roteiro original por "Fale Com ela" (em 2002). No recente Festival de Cinema de Cannes, Almodóvar levou o prêmio de melhor roteiro e o de melhor interpretação coletiva para o elenco feminino de "Volver".O longa ainda não estreou no Brasil, mas foi exibido recentemente no Festival do Rio, que começou na última quinta-feira com "Dália Negra", de Brian De Palma."Cinema, Aspirinas e Urubus" representa o BrasilO longa "Cinema, Aspirinas e Urubus", dirigido por Marcelo Gomes, venceu outros 13 filmes que também se inscreveram no Ministério da Cultura (MinC) para concorrer a uma vaga no Oscar e ganhou por unanimidade. Segundo o secretário Orlando Senna, do Audiovisual, ?além de qualidade artística e de ser um filme que mostra a nossa cara e a nossa voz, ´Cinema, Aspirinas e Urubus´ apresenta características próprias, de estilo, linguagem e temática, normalmente associadas aos vencedores do Oscar.? Carolina Kotscho foi direta: ?É um grande filme, independentemente de Oscar?.Marcelo Gomes ficou feliz da vida. Só ele sabe quanto penou (por sete anos!) para conseguir fazer este filme que reabre a vertente do Cinema Novo, contando uma história de amizade como um road movie, gênero caro ao cinema americano. ?Foi um filme tão sofrido que cada recompensa, cada indicação, cada elogio é sempre uma alegria imensa.? "Cinema, Aspirinas e Urubus" foi visto por 120 mil espectadores no País, mas permanece inédito em várias praças. Gomes espera que a corrida pelo Oscar dê visibilidade a seu filme e estimule mais gente a vê-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.