Divulgação
Divulgação

Vilão de 'Velozes e Furiosos 7', Jason Statham adora mesmo dar socos e pontapés

'Além do que, adoro carros; nunca vi um filme fazer o que este faz com os carros', diz o ator britânico; veja trailer

Cindy Pearlman, The New York Times

21 de abril de 2015 | 12h00


Jason Statham está bastante familiarizado com a velocidade. Nos anos em que atuava em filmes de ação, o ator britânico de 47 anos queimou bem mais pneus do que tinha direito. Ele volta agora a este tipo de façanha com Velozes e Furiosos 7, fazendo malabarismos na direção, pisando no acelerador e confiando em sua subestimada capacidade de representar para esconder um secreto vexame: na realidade, quando adolescente foi reprovado no exame para carteira de habilitação, e mais de uma vez só.

“Fui reprovado duas ou três vezes”, admitiu. “Fui de carro para o exame, fui reprovado e voltei dirigindo. Acabou o segredo!”Riu.

Velozes 7 é o último capítulo da franquia que começou há 14 anos com Velozes e Furiosos (2001) e ganhou US$ 2,4 bilhões brutos de bilheteria. O atual capítulo é dirigido por James Wan, mais conhecido pelos filmes de terror Insidioso (2010) e Invocação do Mal (2013).

Desta vez, fazia um ano desde que Dom (Vin Diesel), Brian (Paul Walker) e sua equipe voltaram aos Estados Unidos com seus indultos. Eles enfrentam a transição para a vida de cidadãos respeitadores da lei, em que Dom tenta voltar a se relacionar com Letty (Michelle Rodriguez) e Brian leva uma existência calma de bairro com Mia (Jordana Brewster). No entanto, não se demoram muito nesta vida mansa: um assassino britânico frio da série black-ops, Deckard Shaw (Statham) prometeu caçar todos os que estão envolvidos na morte do seu irmãos menor Owen (Luke Evans), que ocorreu em Velozes e Furiosos 6 (2013).

De fato, Statham apresentou os personagens numa cena depois dos créditos daquele filme. “Ouvi muitas pessoas dizerem que os fãs enlouqueceram com o clipe”, disse o ator em sua voz profunda, rouca, numa entrevista por telefone. “É bom quando eles enlouquecem, não é? Como ator, fico realmente feliz quando o público mostra esta grande excitação somente para me ver por apenas um ou dois minutos do filme”.

No ano passado, ele fez questão de ser extremamente cuidadoso e não adiantar coisas demais. “As pessoas quiriam que eu falasse sobre o filme”, ele disse, “porque os fãs o adoram, mas eu escondo muito bem meu personagem. Estava ali para cumprir minha obrigação”, afirmou cauteloso. “Faço o que costumo fazer. Nada de contar o que vou fazer. Não entrego nada, porque perderia a graça”.

Ele está determinado a não permitir que o levem na conversa deixando escapar algumas informações sobre o enredo. "Você não é a primeira que pessoa que tenta me arrancar alguma coisa: ‘Você é o vilão? Vai explodir tudo?’” ele disse, e não falou mais nada. 

Como os fãs já sabem, Shaw explode a casa de Toretto, levando Dom a envolver um agente de alto escalão do governo (Kurt Russell) quando procura vingar-se. A equipe de Velozes volta a girar a chave da ignição tentando apreender um protótipo de aparelho localizador para o governo dos EUA. O negócio é que, se o capturarem, poderão usá-lo para encontrar Shaw antes que ele ataque novamente.

Tudo por causa do dinheiro, não é? “A questão é a seguinte: Odeio quando alguém estraga um filme”, disse Statham. “Não quero saber o enredo. Todos os que estão muito envolvidos concordam que é importante que eu fique de boca fechada, porque nunca se sabe o que irá acontecer nesta franquia”. 

No entanto ele estava ansioso por conseguir o papel. Statham se limita a revelar isto. 

“Para começar, James Wan é um diretor impressionante, um sujeito extremamente talentoso. Eu sou uma pessoa que não consegue esperar para se atirar no projeto seguinte”, prosseguiu, “quando é perfeito para mim. Não sou um cara que gosta de ficar sentado esperando, por isso, quando a gente recebe um telefonema para um trabalho em Velozes e Furiosos 7, é muito excitante. Seria loucura não fazê-lo. Eu sabia que haveria muita ação, muito trabalho”, acrescentou. “Além do que, adoro carros; nunca vi um filme fazer o que este faz com os carros”.

Statham, mestre de artes marciais mistas, kickboxing e jiujitsu, disse que os filmes de ação são os seus favoritos. “Há alguma coisa de primitivo nos bons filmes de ação”, explicou. “O negócio é sobreviver de todos os meios possíveis. Adoro as cenas em que há carros e helicópteros, mas gosto mais ainda dos socos e dos pontapés. Adoro voltar ao básico”.

Muitos membros da equipe e do elenco da franquia de Velozes e Furiosos trabalham juntos há mais de dez anos, mas Statham disse que não teve o menor problema para se integrar. “Todo mundo me recebeu muito bem. Estas pessoas sabem o que estão fazendo. É uma grande equipe. E é uma equipe em constante expansão, que acolhe os recém-chegados como se fosse mais um membro da família”.

A franquia perdeu um integrante fundamental quando Walker morreu num acidente de automóvel durante uma folga. Havia material filmado suficiente com ele para usar no filme, e seus irmãos Cody e Caleb trabalharam como dublês para as cenas que ainda não haviam sido filmadas.

“Tenho lembranças muito boas de Paul”, disse Statham, “era um sujeito impressionante. Fomos para a pista de corrida foi muito bom”.

Statham cresceu em Shirebrook, Derbyshire, onde seu pai trabalhava como leiloeiro e cantor, e sua mãe era uma bailarina. Quando adolescente, ele se tornou um dos melhores mergulhadores da Grã-Bretanha, competiu nos Jogos da Comunidade Britânica, em vários testes para as Olimpíadas, e se classificou em 12º lugar nos Campeonatos Mundiais.

Quando sua carreira esportiva acabou, vendeu perfume, joias e outras coisas pelas ruas de Londres. Então, um talent scout o viu e lhe ofereceu um trabalho de modelo. Começou a desfilar nas campanhas da Tommy Hilfiger, Levis e French Connection. Um vídeo para o grupo Erasure o levou a um comercial britânico para a Kit-Kat.

O diretor Guy Richie o chamou para ser o cara durão em Jogos, trapaças e dois canos fumegantes (1998), que lançou Statham numa grande carreira cinematográfica. Ele continuou em papéis repletos de ação em Porcos e diamantes (2000), Carga explosiva (2002), Um golpe à italiana (2003), Crank (2006), Os Mercenários 3 (2010) e Linha de frente (2013), Parker (2013), e Jogo Duro (2014).

Em seguida veio a comédia de Paul Feig, Spy, estrelada por Melissa McCarthy a ser lançada em meados do ano. McCarthy é uma analista da CIA presa a um trabalho burocrático que se infiltra numa gangue de contrabandistas de armas. Statham é um espião cujos motivos podem ser nebulosos, ou não.

Nas pausas, Statham mora em Hollywood Hills e em Londres. Não abre a boca a respeito da namorada, a atriz Rosie Huntingon-Whiteley, mais conhecida por Transformers: Dark of the Moom (2011). “Adoro ficar em casa,” afirma. “É quando posso estar com os amigos e a família. Não faço nada em particular, ou vou surfar, esquiar, como boa comida”.

Trabalha muito para manter o corpo que tem. “Você não vê caixa de pizza na minha casa”, acrescentou, “e sei que o açúcar é a pior coisa do mundo. O açúcar que como vem da uva, da maçã e de outras frutas”.

Queima as gorduras com os exercícios físicos, mas não faz esteira. Está sempre praticando intensamente, ou treinando alguma luta com o seu dublê. Depois do esporte, pega o carro e sai por aí.”Dou um longo passeio de carro diante do oceano, dirijo devagar, obedeço aos limites de velocidade, e penso que sou um cara de muita sorte”.

TRADUÇÃO DE ANNA CAPOVILLA

 

Tudo o que sabemos sobre:
CinemaVelozes e FuriososJason Statham

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.