Veterano do Oscar é processado por pirataria

Dois estúdios de Hollywood entraram com ação contra o ator Carmine Caridi, membro há 20 anos da Academia do Oscar. A Columbia e a Warner o responsabilizam pela reprodução pirata de seus filmes. Caridi, que atuou na saga O Poderoso Chefão, admitiu ter enviado a Russel Sprague cópias em VHS que recebeu oficialmente da Academia, para a votação dos indicados. Mas nega ter tomado conhecimento do esquema de reprodução em DVD e difusão na internet. O ator de 70 anos negou também ter recebido dinheiro pelo envio.Sprague foi detido pelo FBI na semana passada com centenas de cópias de filmes candidatos ao Oscar. Caridi disse aos investigadores ter mandado cerca de 60 fitas a Sprague, supondo-o simplesmente um interessado por cinema. O amigo de 51 anos até devolvia os filmes, mas antes os convertia para o formato digital. Na casa de Caridi, foram encontradas 36 versões originais dos estúdios, incluindo O Último Samurai e O Sorriso de Monalisa. Os estúdios, em ações separadas, pedem indenizações de US$ 150 mil por infração.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.