Imovision/Divulgação
Imovision/Divulgação

'Verão', 'O Grande Circo Místico', 'Em Chamas' e 'Animais Fantásticos' entre as estreias da semana

Confira os filmes que estreiam nos cinemas nesta semana e veja os trailers

Luiz Carlos Merten e Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S. Paulo

15 Novembro 2018 | 06h00

Verão, O Grande Circo Místico, Em Chamas e Animais Fantásticos são alguns dos destaques das estreias de cinema da semana. Veja os trailers

BIOGRAFIA

‘Verão’ e o rock russo nos anos da perestroika

Kirill Serebrennikov é um dos mais talentosos autores russos da nova geração, mas trombou com o poderoso Vladimir Putin e sua vida tem sido um inferno. Está preso na Rússia, sob uma vaga acusação de corrupção – teria desviado recursos de um teatro público – que nunca foi provada. Havia a expectativa de que ele conseguisse uma autorização especial para ir a Cannes, em maio, quando seu longa Verão foi selecionado para a competição.

Serebrennikov permanece preso, foi representado no tapete vermelho por seus atores. Houve outro caso similar em Cannes, este ano – o iraniano Jafar Panahi não pôde viajar para acompanhar a projeção de Três Faces. Permanece confinado em seu país. Tal é o estado do mundo. 

Verão é deslumbrante, e se baseia numa história real. Reconstitui os anos do rock, durante a perestroika, quando Mikhail Gorbachev começou a abrir a (antiga) URSS, e o regime comunista entrou em colapso.

Sexo, drogas e rock’n’roll. Viktor Tsoi torna-se o primeiro grande astro internacional do rock russo. Antes dele houve Mike, que virou seu mentor. Era casado com Natasha. Forma-se um triângulo amoroso, a questão é se vai se concretizar. Mike chega a facilitar a vida dos possíveis amantes, armando para que fiquem sozinhos. O que acontece... Olha o spoiler. É melhor ver, e ouvir, Verão.

Serebrennikov fez tudo, menos uma biografia tradicional. Utiliza recursos gráficos – desenhos sobre as imagens filmadas, animações. Tudo isso confere grande liberdade narrativa ao longa, mas o mais belo nesse verão que parece não acabar, mas na verdade foi breve, é o triângulo. A beleza e luminosidade da atriz que faz Natasha. A crispação, a tensão estampada na cara de Viktor. E a tranquilidade forçada de Mike, o mentor. Irina Starshenbaum, Teo Yoo, Roman Bilyk. Verão, no seu intenso agora, não seria tão bom sem eles. / Luiz Carlos Merten 

Verão / Leto (França-Rússia/2018, 126 min.) Dir. de Kirill Serebrennikov, com Teo Yoo, Roman Bilyk, Irina Starshenbaum

DRAMA

‘Em Chamas’, a dimensão poética do cinema

Em Chamas, do coreano Lee Chang-Dong, é um desses raros filmes em que uma história em aparência pequena se torna grande. Imensa, aliás. Jong-soo (Yoo Ah-in) é um modesto entregador de mercadorias que, um dia, reencontra a vizinha de infância, Hae-mi (Jeon Jong-Seo). Começam um caso, mas logo ela viaja para a África e pede ao rapaz que tome conta do gato que tem em seu apartamento. Na volta, a garota aparece acompanhada de outro jovem, Ben (Steven Yeun). 

Forma-se um exótico triângulo amoroso, mas longe das convenções desse tipo de relacionamento. Jong-soo é um escritor em potencial; Ben é inteligente, envolvente e tem muito dinheiro; a garota é um mistério em si. O clima, aliás, é misterioso e surpreendente. Discute-se literatura, fala-se de amor, mas de outras coisas também. Um deles confessa ser autor de alguns delitos intrigantes e gratuitos. Adaptado de um conto do japonês Haruki Murakami, Em Chamas é também uma discussão de como a literatura se acomoda à linguagem do cinema. / Luiz Zanin Oricchio 

Em Chamas / Buh-Ning (Coreia do Sul/2018, 148 min.) Dir. de Lee Chang-Dong, com Yoo Ah-In, Steven Yeun, Jeon Jong-seo

AVENTURA

Andrew Haigh e a juventude em busca de si mesma

Andrew Haigh fez história no Festival de Berlim de 2015, quando Charlotte Rampling e Tom Courtenay venceram os Ursos de Prata de interpretação por seus papéis em 45 Anos. Haigh produziu e dirigiu séries e telefilmes na Inglaterra. É o diretor do belíssimo A Rota Selvagem, que estreia nesta quinta, 15.

De novo revela-se um excepcional diretor de atores – Charlie Plummer, o garoto de Todo o Dinheiro do Mundo, Chloe Sevigny, Travis Fimmel, Steve Buscemi. O filme é sobre esse garoto, Charley, filho de pai solteiro. A mãe desertou da família, o pai tem sempre uma namorada nova (quando não está se metendo em confusão). Em busca de estabilidade, Charley vai trabalhar com um treinador de cavalos.

Liga-se a um desses cavalos de corrida, Lean on Pete. Quando percebe que o animal será sacrificado, cai na estrada com ele. Atravessa os EUA em busca do apoio de uma tia. A jornada é de degradação física, cada vez mais para baixo. Mas não espere uma celebração do miserabilismo. Haigh fez outro grande filme, desta vez, sobre o sentido da vida na juventude. / L.C.M.

A Rota Selvagem

(EUA, 2018.)Dir. de Andrew Haigh, com Charlie Plummer, Chloë Sevigny, Steve Buscemi

COMÉDIA

Atrizes dão show no belo ‘Sueño Florianópolis’

A argentina Ana Katz veio ao Brasil para acompanhar a projeção de Sueño Florianópolis. O filme é uma delícia. Tem algum parentesco com Benzinho, de Gustavo Pizzi. Problemas de família, a praia. O filme é sobre um casal de argentinos, Mercedes Morán e Gustavo Garzón, que vem passar as férias no Brasil. São psicanalistas no país de origem. Estão em processo de separação.

No Brasil, encontram outro casal – formado por Marco Ricca e Andréa Beltrão. Rolam algumas histórias de sexo, e tem também ‘as crianças’, que, na verdade, são adolescentes, atolados nos próprios problemas. Ana Katz, além de dirigir, escreveu o filme com seu irmão. Fizeram um belíssimo trabalho – rico em nuanças, em observações humanas e sociais.

Para o público brasileiro que adora o cinema argentino por suas histórias de classe média, Sueño Florianópolis será um regalo. Uma história que poderia ser triste – as pessoas descobrem sua solidão, o desabar dos sonhos – ganha um encanto todo especial. E as atrizes, Mercedes e Andréa, não são menos que excepcionais. Na última cena delas, o não dito, os olhares, os gestos, impressionam mais que as palavras banais. / L.C.M.

Sueño Florianópolis (Argentina/2018, 104 min.)Dir. de Ana Katz, com Gustavo Garzón, Mercedes Morán, Marco Ricca

DOCUMENTÁRIO

‘Filme paisagem’, os jardins de Burle Marx

Bonito documentário sobre o paisagista Burle Marx. Seus objetivos eram a beleza e a valorização da flora nacional. O filme de João Vargas Penna amolda-se à perspectiva do biografado. Burle Marx servia-se dos elementos vegetais como um pintor de suas tintas e um compositor das notas musicais. / L.Z.O.

Filme Paisagem – Um Olhar Sobre Roberto Burle Marx (Brasil, 2018, cor, 71 min.)Dir. de João Vargas Penna

COMÉDIA ROMÂNTICA

Segredos de uma Paris intemporal 

Qual o vínculo de atração entre uma mocinha de província e um velho livreiro (papel de Jean Sorel, de A Bela da Tarde e Vagas Estrelas da Ursa) do Quartier Latin? Entre essa dúvida e outras se constrói a história dirigida por Élise Girard e ambientada numa Paris um tanto fora do tempo. / L.Z.O. 

Um Segredo em Paris (França/2018, 70 min.) Dir. Élise Girard, com Jean Sorel, Lolita Chammah, Virginie Ledoyen

DRAMA

Cacá busca a magia em seu ‘Circo Místico’

A música, sublime, é de Chico Buarque e Edu Lobo. O texto, inspirado em poema surreal de Jorge de Lima. Com esse material e grande elenco, Cacá Diegues busca a magia em O Grande Circo Místico, história de uma família ao longo de cem anos. Alcança essa dimensão, às vezes. / L.Z.O.

O Grande Circo Místico (Br/2018, 106 min.)Dir. Cacá Diegues, com Jesuíta Barbosa, Bruna Linzmeyer, Mariana Ximenes

AVENTURA

Nessa fábula, atores é que são fantásticos

Segundo de uma nova série de cinco filmes baseados em J.K. Rowling traz de volta o mago Scamander e seus animais fantásticos, em luta contra vilão sinistro. O diretor Yates domina os efeitos, a narrativa e dispõe de atores, eles, sim, fantásticos. O filme estreia em quase 1500 salas. / L.C.M.

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald (2018, 134 min.)Dir. de David Yates, com Eddie Redmayne

DRAMA

Quebra-cabeças tira mulher da rotina 

Dona de casa quarentona e convencional dedica-se full time ao marido e aos filhos. Uma transformação radical acontece quando ela descobre ter talento invulgar para montar quebra-cabeças complicados. Como Agnes (Kelly MacDonald) muda de vida, toda a família também é obrigada a se ajustar. 

O Quebra-Cabeça (EUA/2018, 103 min.)Dir. Marc Turtletaub, com Kelly Macdonald, David Denman, Irrfan Khan

DRAMA

Repórter consegue entrevista com Deus

Em filme dirigido por Perry Lang, um jornalista (Brenton Thwaites) procura matéria sensacional que possa dar uma guinada em sua carreira profissional. Um dia, consegue entrevistar Deus – ou alguém que se passa por Ele e promete responder a qualquer questão do repórter. O que perguntar ao Criador? 

Entrevista com Deus (EUA/2018, 95 min.)Dir. de Perry Lang, com Brenton Thwaites, Yael Grobglas, Charlbi Dean Kriek

 

Mais conteúdo sobre:
cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.