Veneza iluminas astros, estrelas e o cinema asiático

Com 19 filmes em competição oficial e um espaço maior para o cinema musical e fantástico, a 62.ª edição do Festival de Cinema de Veneza começa na ilha de Lido, no remodelado Palácio do Cinema. Na fachada do palácio do Festival, 62 leões dourados, presentes já em 2004, obra do cenógrafo italiano Dante Ferretti, hoje presidente do júri.O diretor do Festival, Marco Muller, garante que as medidas de segurança, que Cannes e Berlim já tomam desde 2003, não estragarão o clima de festa que assegura a presença em Veneza de algumas das figuras mais populares do cinema mundial.Entre estas estão George Clooney, Hugh Grant, Monica Bellucci, Harrison Ford e sua mulher Calista Flockhart, Charlotte Rampling, Jeremy Irons, Juliette Binoche, Heath Ledger, Gwyneth Paltrow, Ralfh Fiennes, Kate Winslet, Susan Sarandon, Michel Piccoli, Isabelle Huppert, Marisa Paredes, Russel Crowe, Sienna Miller, Orlando Bloom e Jacqueline Bisset.Destaque ainda para o cinema asiático. Além de mais de 12 filmes, provenientes da China, Hong Kong, Coréia e Japão, estão também as retrospectivas do cinema japonês e chinês, História Secreta do Cinema Asiático, com filmes que remontam aos anos do cinema mudo.Este panorama é conseqüência direta do amor pioneiro e desmedido de Muller, o diretor do Festival, pelo cinema do Extremo Oriente, desde quando dirigia o Festival de Cinema de Torino, há quase 30 anos, e abriu a primeira janela à cinematografia chinesa com o filme "Sombras Elétricas".Um dos Leões de Ouro pela carreira será do mago da animação japonesa, Hayao Miyazaki, e marcará a primeira vez que este gênero, tão querido pelo público e tão depreciado pelos críticos e pelos festivais, recebe uma prêmio desta importância.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.