Veneza abre a corrida pelo Oscar, com aclamação a Phoenix e Hoffman

Veneza tradicionalmente dá o tiro inicial na longa temporada de premiações do cinema, e no momento em que o festival de filmes mais antigo do mundo chega à sua metade, três atores agitaram Hollywood com performances memoráveis.

MIKE COLLETT-WHITE E SILVIA ALOISI, Reuters

03 de setembro de 2012 | 18h38

Michael Shannon como um assassino, Philip Seymour Hoffman como um líder de seita inspirado no fundador da Cientologia, L. Ron Hubbard, e Joaquin Phoenix interpretando seu protegido, torturado e volátil, já estão bem cotados cerca de seis meses antes do Oscar.

O burburinho em torno de seus personagens ajudou a elevar o espírito em Veneza, comemorando seu 80o aniversário este ano.

O potencial das celebridades é quase tão importante para um festival de cinema quanto a qualidade dos filmes, uma vez que atrai a mídia mundial e lembra por que o notoriamente caro festival de Veneza ainda é importante em um calendário repleto de eventos rivais.

Como o festival de 11 dias na ilha de Lido chegando à sua metade nesta segunda-feira, o maior sucesso até o momento é "The Master".

Primeiro filme do diretor Paul Thomas Anderson desde o aclamado "Sangue Negro", de 2007, o filme combina controvérsia --concentrando-se no começo da Cientologia-- e atores de gabarito como Hoffman e Phoenix.

Todd McCarthy, do The Hollywood Reporter, chamou o longa de "um drama corajoso, desafiador e brilhantemente interpretado, que é uma obrigação para um público sério".

DOMINADOR E PERTURBADO

Nem todos os críticos gostaram, mas a maioria concordou que os dois atores centrais estavam no auge de seus poderes, com Hoffman como o dominador e explorador Lancaster Dodd e Phoenix como um assistente perturbado e beberrão.

Essencialmente uma história de amor tendo como pano de fundo a fundação da Igreja da Cientologia, de Hubbard, na década de 1950, poucos ficariam surpresos em vê-los nomeados para premiações.

O site GoldDerby, que antecipa premiações do showbusiness, colocou "The Master" como favorito para o Oscar de melhor filme, Anderson está bem cotado para melhor diretor e Hoffman e Phoenix estão entre os cinco melhores para o prêmio de melhor ator.

Ambos os atores estiveram em Veneza, onde o comportamento de Phoenix foi instável e ele mal articulou suas frases durante uma coletiva de imprensa.

Outro grande título, "To the Wonder", de Terrence Malick, foi lançado sem seu diretor recluso e suas estrelas mais proeminentes.

O retrato poético e impressionista de um casal apaixonado contado praticamente sem diálogo foi elogiado e criticado na mesma medida, mas com Ben Affleck, Javier Bardem e Rachel McAdams todos ausentes, a sua estreia mundial foi discreta.

Veneza conseguiu atrair estrelas em ascensão como o ex-ídolo teen da Disney Zac Efron, que apareceu na saga agrícola "At Any Price", e Selena Gomez, que é esperada no festival para promover "Spring Breakers", na quarta-feira.

Mas sem grandes nomes ou filmes que sacudiram o público na mesma maneira que os dramas de guerra "Guerra Sem Cortes" e "Guerra ao Terror" ou a história sobre vício em sexo "Shame" fizeram nos últimos anos, Veneza tropeçou.

Tudo o que sabemos sobre:
FILMEVENEZAMETADE*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.