Matt Kennedy
Matt Kennedy

'Velozes e Furiosos 8' arrecada US$100 milhões em bilheterias nos EUA em sua estreia

Filme deve bater o recorde de 'Star Wars: O Despertar da Força'

Reuters

17 Abril 2017 | 20h10

LOS ANGELES - Velozes e Furiosos 8 disparou no fim de semana rumo a uma estreia global com recorde de arrecadação, ainda que as plateias norte-americanas tenham demonstrado menos entusiasmo pelo filme mais recente da franquia do estúdio Universal.

Tendo por base estimativas iniciais, a aventura de ação deve atingir uma nova melhor marca mundial, já que se espera que ultrapasse o recorde anterior de 529 milhões de dólares estabelecido por Star Wars: O Despertar da Força.

Se isso acontecer, uma grande parte do crédito será da China, onde Velozes e Furiosos 8 já arrecadou impressionantes 135 milhões de dólares em seus dois primeiros dias de exibição. Vale notar que os cinemas chineses só repassam aos estúdios cerca de 25 por cento das bilheterias, cerca de metade do que é repassado na maioria dos países grandes.

Nos Estados Unidos, há indícios de que a franquia centrada em carrões e manobras que desafiam a física atingiu seu pico. Velozes e Furiosos 8 rendeu estimados 100,2 milhões de dólares, um resultado respeitável, mas uma queda e tanto em relação aos 147,2 milhões de dólares da estreia do sétimo filme da série.

Antes do final de semana, a maioria dos analistas previa que o lançamento iria superar de longe a marca dos 100 milhões.

Há razões para a perda de público. Velozes 7 serviu como uma espécie de homenagem a Paul Walker, astro cuja morte em 2013 em um acidente de carro arrasou seus colegas de elenco e muitos fãs.

Desta vez não havia o mesmo apelo emocional. O novo filme retoma a franquia sem Walker, acrescentando personagens vividos por Charlize Theron e Helen Mirren.

Também houve um drama fora das telas. Velozes 8 teve que lidar com relatos de tensão entre os atores Vin Diesel e Dwayne Johnson que minaram um dos principais atrativos da série -- o fato de os filmes serem uma celebração da família e da irmandade. 

Os dois astros mantiveram distância na pré-estreia da produção em Nova York, e a tentativa de Diesel de minimizar os rumores sobre um desentendimento entre os dois deixou a desejar.

O segundo lugar nas bilheterias norte-americanas ficou com a animação O Poderoso Chefinho, arrecadando 15,5 milhões de dólares e elevando a renda da atração familiar para 116,3 milhões de dólares nos EUA. A Bela e a Fera ficou em terceiro, rendendo 13,6 milhões de dólares e chegando à soma robusta de 454,7 milhões nos EUA e mais de um bilhão de dólares globalmente.

Os Smurfs e a Vila Perdida chegou na quarta posição e só rendeu anêmicos 24,7 milhões de dólares nas bilheterias norte-americanas, e agora depende das plateias estrangeiros para compensar os 60 milhões que custou e dar lucro.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.