Vaticano critica 'A Bússola de Ouro' por ser destituído de Deus

O Vaticano condenou naquarta-feira o filme "A Bússola de Ouro", tachado por alguns deanticristão, dizendo que ele promove a idéia de um mundo frio,sem Deus e caracterizado pela desesperança. Num editorial longo, o jornal do Vaticano l'OsservatoreRomano também fez duras críticas a Philip Pullman, autor dobest-seller sobre o qual é baseado o filme de fantasia voltadoao público familiar. Foi a crítica mais dura feita pelo Vaticano a um autor e umfilme desde a condenação que fez de "O Código Da Vinci", em2005 e 2006. "No mundo de Pullman a esperança simplesmente não existe,porque não existe salvação senão na capacidade pessoal eindividualista de controlar a situação e dominar osacontecimentos", disse o editorial. O filme, que fez sua estréia neste mês e é estrelado porNicole Kidman e Daniel Craig, é uma adaptação do livro aclamado"A Bússola Dourada", de Philip Pullman. O longa estréia noBrasil na terça-feira de Natal. O jornal do Vaticano disse que os espectadores honestos vãoconstatar que o filme é "destituído de qualquer emoção emespecial, além de uma grande frieza". No mundo de fantasia criado pela trilogia "Fronteiras doUniverso", de Pullman, a Igreja e a instância que a rege,conhecida como Magisterium, estão ligadas a experimentos cruéiscom crianças, visando descobrir a natureza do pecado, além detentativas de acobertar fatos que prejudicariam a legitimidadee o poder da Igreja. Na versão feita para o cinema, todas as referências àIgreja foram eliminadas. O diretor Chris Weitz não quis correro risco de ofender o público religioso. Mesmo assim, alguns grupos católicos nos EUA pediram umboicote do filme, temendo que mesmo uma versão suavizada dolivro possa atrair as pessoas para a leitura da trilogia. O jornal do Vaticano disse que o filme e os escritos dePullman mostram que "quando o homem procura eliminar Deus deseu horizonte, tudo é reduzido e feito triste, frio edesumano". A Liga Católica dos EUA exortou os cristãos a nãoassistirem ao filme, dizendo que seu objetivo é "prejudicar ocristianismo e promover o ateísmo" entre as crianças. O jornal do Vaticano disse que "A Bússola de Ouro" é ofilme "mais antinatalino possível" e considerou "um consolo" ofato de a bilheteria de seu primeiro fim de semana em cartazter sido decepcionante: 26 milhões de dólares. A New Line Cinema, uma unidade da Time Warner Inc.,esperava que o filme arrecadasse entre 30 e 40 milhões dedólares em seu primeiro fim de semana. "A Bússola de Ouro" estátendo resultados melhores fora da América do Norte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.