"V de Vingança" traz justiceiro de HQ para as telas

V de Vingança, o filme de James McTeigue inspirado em história em quadrinhos e com referências a atentados terroristas, foi apresentado hoje no Festival de Berlim cercado pela polêmica sobre sua suposta justificativa do terrorismo como forma de combate a ditaduras."Eu não vou dizer às pessoas como devem ver meu filme. Espero que muitos o vejam como entretenimento, mas certamente há também um pouco de polêmica que espero que gere discussão", disse o diretor.O filme, com roteiro dos irmãos Andy e Larry Wachowski - de Matrix - baseado em uma história em quadrinhos dos anos 80 de Alan Moore, apresenta um justiceiro mascarado com limites confusos entre Robin Hood e Zorro, com inspirações anarquistas. O mascarado, identificado como "V", ameaça explodir o Parlamento britânico e anuncia ao povo que se lembrem de 5 de novembro. Com o aviso, "V" inicia seu plano e deixa um rastro de mortes.Sem traços de vilão, mas como um herói romântico que mantém o rosto oculto, o vingador se envolve com a jovem Evey, a quem tenta convencer da legitimidade de sua luta.O objetivo é eliminar o ditador que impôs à Grã-Bretanha um regime ditatorial que elimina estrangeiros, homossexuais e seus opositores em campos de concentração. O próprio V, que foi vítima de experiências desse Governo, chama o povo à mobilização contra a ditadura."O tema está aí e os paralelismos também, mas o filme estava pronto antes das bombas no metrô de Londres (em julho de 2005) e a história em quadrinhos é anterior ao 11 de setembro (de 2001)", disse McTeigue após a exibição do filme na seleção oficial fora da competição.Portman, que reapareceu com os cabelos curtos depois de ficar careca para filmar V de Vingança, referiu-se a sua origem israelense para dar sua opinião sobre a violência: "Em meu país é o tema de cada dia. É interessante que o coloquem no cinema".John Hurt, intérprete do ditador britânico, evitou a pergunta de se seu personagem foi inspirado em Hitler, na ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher ou no presidente americano, George W. Bush, e disse que era simplesmente um "líder fascista", tirado de uma história em quadrinhos, e por isso com um tratamento plano, não tridimensional, como um político real.A exibição de V de Vingança em Berlim deu a oportunidade de ver o que o filme esconde: o rosto de Hugo Weaving, que teve a difícil missão de encher de expressão a rígida máscara branca com um sorriso sarcástico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.