Universo dos gêmeos é documentado

Em plena época em que tanto secelebra a abertura para o outro, Chico Teixeira segue o caminhoinverso e estréia nesta sexta-feira um documentário sobre... os mesmos.Carrego Comigo trata do universo dos gêmeos para discutir umtema caro ao diretor de 43 anos: a identidade. Menino, Teixeirasempre achou que era dois e, de certa forma, era. Na escola, eleera Gustavo Teixeira. Em casa, era um capeta e, por isso mesmo,sua mãe o chamava de Chico, como se ele fosse um macaquinhotravesso. Gustavo cresceu, fez-se diretor de cinema e assinaseus trabalhos como Chico. Não perca Carrego Comigo. Podenão ser um poço de profundidade, mas é um belo documentário.Simpático e divertido. O título vem de Carlos Drummond deAndrade, que viu "algo indescritível" na relação dos gêmeos. Ao voltar-se para o universo dos gêmeos, Teixeiraprescinde da palavra de especialistas. Não há nenhuma autoridadefalando sobre o assunto. Diante da câmera, existem só os gêmeos.Famosos ou desconhecidos, eles abrem o jogo sobre o quesignifica ser um mas com outro tão igual que é como se fossevocê mesmo e seu complemento. Você e seu sósia, numa convivênciaforçada. "A intenção é colocar o espectador em contato comesses seres particulares, que dividem entre si semelhançasfísicas e espirituais muito grandes", explica o diretor. "Naverdade, são seres duplos, quase idênticos, que são capazes deexperimentar as coisas de forma semelhante." Talvez exista aí um elemento de morbidez, mas comcerteza não é a mórbida semelhança que transformava em seresmonstruosos os gêmeos do filme de David Cronenberg. Quando falasobre a semelhança, Teixeira, no fundo, quer semelhar adiferença. O público de Carrego Comigo ri bastante com osirmãos Paulo e Chico Caruso, com as cabeleireiras, as dragqueens. Ao expressar suas emoções, eles colocam em discussãoesse tema caro ao diretor, a identidade, que o fez analisar-sedurante mais de dez anos. Quem sou eu? É uma pergunta queTeixeira nunca deixou de se fazer, desde criança. Muitosmomentos são para rir, porque são mesmo engraçados. Mas nessaconversa engraçada sobre gêmeos introduz-se, soturno, outro temaque obceca o autor: a morte. Teixeira tinha 3 ou 4 anos quando caiu, mordeu a línguae seccionou a aorta. Chegou ao hospital já roxo, como morto. Osmédicos conseguiram ressuscitá-lo. Ele era muito pequeno para selembrar dos detalhes, mas, desde então, a morte é um tema quecarrega com ele. E, quando pensa nela, percebe quanto éimportante celebrar a vida. Elementar, diria o dr. Freud. Hácinco ou seis anos, Teixeira fez sucesso em festivais do País edo exterior com um curta sobre anões. Criaturas Que Nasciam emSegredo investigava o universo dessas pessoas que hoje em dia,para ser politicamente correto, é preciso chamar - nos EUA, pelomenos - de "verticalmente prejudicadas". Parece piada. O filmede Teixeira não é. Lá, o anão é o outro que ele filma paramostrar que pessoas diferentes têm as mesmas emoções e podem sertão felizes quanto os ´normais´. Pode-se falar em bizarrice? Teixeira acha que seriapreconceito e, se ele se volta para os anões, para os gêmeos éjustamente para desmontar idéias falsas que alimentampreconceitos. Ao desenvolver os temas da solidão e da morte, daidentidade, cria metáforas sobre o mundo atual. Os gêmeos quecomeçam brincando de trocar de personagens entre si terminam,quase sempre, numa difícil luta pela individualização."Enquanto o mundo atual está tão egoísta, os gêmeos dividemtudo, ou quase tudo, desde o útero materno e ainda criam umaligação muito forte, maior até do que a de marido e mulher, depais e filhos." Por causa disso, ele está convencido de que avida dos gêmeos vai contra a estrutura atual das coisas. Durante 20 e poucos dias, Teixeira filmou 35 pares degêmeos. Reuniu 40 horas de material filmado, mais dez horas dearquivo. A montagem demorou seis meses, parou um mês e voltoupara mais dois meses intensos. Foi um trabalho feito com muitoamor. Houve colaborações inestimáveis: Jean-Claude Bernardet naassistência de direção, Vânia Debbs na montagem, Zita Carvalhosana produção e a antropóloga Sílvia Espírito Santo na acuradapesquisa que precedeu a elaboração do roteiro e a rodagem. Odiretor saboreia a emoção da estréia. Na gaveta, tem doisprojetos: uma ficção, a primeira de sua carreira, e outrodocumentário. "Preciso decantar para ver por qual me decidoprimeiro."Serviço - Carrego Comigo. Documentário. Direção de ChicoTeixeira. Br/2001. Duração: 63 minutos. 12 anos

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.