Daniel Leal-Olivas/AFP
Daniel Leal-Olivas/AFP

'Um Jedi não desiste', garante Mark Hamill, astro de 'Star Wars'

Ator detalha a surpresa reservada com a aparição de Luke Skywalker

Mariane Morisawa, ESPECIAL PARA O ESTADO

13 Dezembro 2017 | 06h03

LOS ANGELES - O ator Mark Hamill, de 64 anos, fala sobre o processo de voltar a Luke Skywalker, personagem que é protagonista da primeira trilogia Star Wars.

Você ficou desapontado com sua participação tão pequena no primeiro filme desta trilogia?

Fiquei surpreso. Mas, quando consegui racionalizar as razões, fez total sentido. Havia tantas coisas a incluir no primeiro filme, como apresentar todos esses personagens novos, uma porção de conflitos e dramas novos, era preciso concluir a saga de Han Solo... Fazia sentido me empurrar para o próximo filme. E eu tive uma das entradas mais elaboradas da história do show biz! Todo o mundo fica falando sobre mim no filme durante duas horas! Então, eu desfrutei de toda a diversão de estar num filme enorme e popular, enquanto todos os outros atores é que realmente trabalharam!

+++ 'Star Wars: Os Últimos Jedi': adoráveis para uns, deploráveis para outros, porgs provocam debate​

Você conversou bastante com o diretor Rian Johnson sobre a jornada do personagem. Sobre o que estava inseguro?

Está no trailer: “Eu só sei de uma verdade, que é hora do fim dos Jedi”. Isso vai contra tudo o que acredito sobre Luke e ser Jedi. Rian me explicou que eu me sentia péssimo por ter selecionado o candidato errado, que ia para o Lado Negro da Força e que Luke não conseguia trazê-lo de volta. Que eu sentia a culpa de talvez ter ajudado a criar o possível próximo Darth Vader. E eu respondi: “É, Rian, mas um Jedi não desiste!”. Eu continuaria insistindo e, se não conseguisse trazê-lo de volta, tentaria achar outra pessoa. Enfim, é uma diferença de filosofia. Mas essa não é minha função. No fim, eu preciso pegar o material que me é dado e fazer meu melhor para realizar a visão do diretor, independentemente de eu concordar ou não com ele.

+++ 'Os Últimos Jedi' é o melhor episódio de 'Star Wars' em anos​

Mas Rian Johnson estava aberto à colaboração?

Sim, Rian gosta de colaboração e é uma pessoa muito bacana, então depois de dizer o que eu pensava, tornou-se irrelevante se eu concordava ou não. Fiz parte de filmes que eram tão terríveis que não veria nem numa aposta. Fiz novela e não gosto de novela. Não quer dizer que você precisa amar todos os projetos que faz. Eu por acaso amo Star Wars, mas vi que Rian queria tentar algo que surpreenderia o público. E ele certamente me surpreendeu. Ele me tirou da minha zona de conforto, o que provavelmente é algo bom. Se eu fosse apenas outro Jedi benevolente, bondoso, sábio, acolhedor... Nós já vimos isso. E ninguém podia fazer isso melhor do que Alec Guinness, então por que deveria tentar?

+++ Primeira exibição de 'Star Wars: Os Últimos Jedi' tem homenagem emocionante a Carrie Fisher​

Porgs ou Ewoks?

Essa é difícil. Os Ewoks foram muito criticados porque eram fofinhos demais. Mas eu amo a tecnologia medieval em contraposição com a tecnologia avançada do Império. Eu sugeri ao George Lucas de torná-los menos amáveis. Se eles tivessem aparência de ratos, todo o mundo sentiria repulsa, até perceber que eles eram bons. De novo, tenho um monte de ideias terríveis que ninguém ouve! Ele queria que eles fossem bonitinhos porque queria vender bichos de pelúcia! Os Porgs são incríveis, baseados em pássaros de verdade. E adorei que eles usaram um pouco de CGI, mas havia Porgs de verdade no set que podiam ser manipulados. Eles pareciam reais. Amo os dois, não me faça escolher! Sempre me perguntam qual meu filme favorito da trilogia original e não posso escolher, são como meus filhos! Gosto de todos por razões diferentes! Que tal essa resposta em cima do muro? 

+++ 'Star Wars: Os Últimos Jedi' terá 2h30 e será o filme mais longo da franquia

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.