Emilio Flores/EFE
Emilio Flores/EFE

'Um homem que viveu sua vida sem pedir licença', diz Rami Malek sobre Freddie Mercury

Discurso do artista, que levou o Oscar de melhor ator, falou sobre imigração e ganhou as redes sociais

Redação, O Estado de S.Paulo

25 de fevereiro de 2019 | 16h01

O discurso de Rami Malek, que ganhou a estatueta de melhor ator por sua atuação em Bohemian Rhapsody, impressionou quem acompanhava a cerimônia do Oscar 2019

Americano filho de imigrantes egípcios, o intérprete de Freddie Mercury fez questão de reforçar sua ascendência estrangeira. "Sou filho de imigrantes do Egito, de primeira geração. Parte da minha história está sendo escrita agora. E não poderia ser mais grato a todos que acreditaram em mim”, disse o astro. A discussão sobre a entrada de imigrantes nos Estados Unidos é debate desde que as eleições que levaram Donald Trump à presidência. 

Rami Malek ganhou as redes sociais por sua fala, que, além da imigração, abordou a questão da diversidade sexual. "Fizemos um filme sobre um homem gay, imigrante, que viveu sua vida sem pedir licença. Precisamos de histórias como essa", defendeu Malek, que venceu os atores Christian Bale, de Vice, Bradley Cooper, de Nasce uma Estrela, Willem Dafoe, de No Portal da Eternidade, e Viggo Mortensen, de Green Book.

Para terminar de comover o público e os que acompanhavam de casa, o ator fez uma homenagem à namorada e companheira de cena, Lucy Boynton, que faz o papel de Mary Austin no longa. "Lucy Boynton, você está no coração desse filme. Você é uma pessoa de muito talento. Você roubou meu coração. Obrigado”, finalizou. Malek ainda deu um beijo em Boynton, levando a plateia à loucura. 

Bohemian Rhapsody também levou o Oscar em outras três categorias: montagem, edição de som, mixagem de som. Rami Malek já havia sido considerado como melhor ator de drama no último Globo de Ouro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.