'Um Amor Para Toda a Vida' traz romance à moda antiga

Longa, dirigido pelo inglês Richard Attenborough, conta uma história de amor em dois tempos e lugares

Alysson Oliveira, da Reuters,

08 de maio de 2029 | 10h48

O filme Um Amor Para Toda A Vida, em estréia nacional nesta sexta-feira, 30, é um romance à moda antiga, cheio de segredos, revelações e renúncias. O longa é dirigido pelo inglês Richard Attenborough, cujo filme mais conhecido é o premiado Gandhi, vencedor de oito Oscars em 1983.   Veja também: Trailer de 'Um Amor Para Toda a Vida'  Trailer de 'As Crônicas de Nárnia: Príncipe Caspian'  Um Amor Para Toda A Vida conta uma história de amor em dois tempos e lugares. Nos Estados Unidos, no início dos anos de 1990, Ethel Ann (Shirley MacLaine) acaba de enterrar o marido, um veterano de guerra. Como ela não parece muito infeliz com a perda, a filha Marie (Neve Campbell, da trilogia Pânico) acusa a mãe de sempre ter sido fria. A viúva parece encontrar alguma alegria quando o amigo Jack (Christopher Plummer) chega para o funeral. Intercalando essa história do presente, entram alguns flashbacks mostrando o que aconteceu na década de 1940, quando a jovem Ethel (agora interpretada por Mischa Barton) se casou secretamente com Teddy (Stephen Amell), antes que ele fosse para o front na Segunda Guerra Mundial com dois amigos. Teddy, por sua vez, havia pedido ao amigo Chucky (David Alpay) que cuidasse de Ethel se algo lhe acontecesse. E é exatamente isso que o rapaz fez, resultando num casamento longo e infeliz, que terminou agora, com a morte de Chucky. No tempo presente, Ethel recebe um telefonema de um jovem irlandês chamado Jimmy (Martin McCann), que encontra um anel que pertenceu ao verdadeiro amor de Ethel. Aos poucos, o roteirista Peter Woodward vai entregando os segredos, dores e alegrias de seus personagens - que não são tão difíceis de prever desde o começo do filme.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.