Último filme de Adam Sandler é proibido em países árabes

Líbano, Egito e Emirados Árabes vetam exibição de 'Zohan - O Agente Bom de Corte', que satiriza os dois lados

Da Redação,

08 de agosto de 2019 | 16h59

O último filme do ator Adam Sandler, Zohan - O Agente Bom de Corte, apesar de ter sido bem recebido em Israel, teve a exibição proibida no Líbano, Egito e Emirados Árabes, segundo informou nesta terça-feira, 19, o jornal El País. A comédia estreou nos cinemas brasileiros na última sexta, 15.   Veja também: Trailer de Zohan - Agente Bom de Corte    No filme, Sandler vive o Zohan Dvir, um militar israelense especializado em contraterrorismo, aparentemente indestrutível. Seu único inimigo é Phantom, - interpretado por John Turturro -, um terrorista palestino. Embora ame Israel, Zohan abandona o exército para virar cabeleireiro no subúrbio de Nova York, no salão da árabe Dália (Emmanuelle Chriqui). Além das inúmeras piadas referentes a israelenses e palestinos, o filme mostra um caso de amor entre um agente do Mossad e a irmã de um terrorista palestino.   Querer exibir um filme israelense ou que tenha Israel como tema em um país árabe é procurar confusão com o público, segundo o jornal britânico The Guardian. Os produtores de Zohan se defendem em um comunicado dizendo que o filme é uma comédia que ofende e defende tanto um lado como o outro. Mas o porta-voz da distribuidora Circuit Empire Bassan Eid, diz acreditar em "99% de chances de que o filme seja proibido em todos os países árabes".   Em Israel, Zohan foi um dos maiores sucessos de bilheteria do ano, com 200 mil ingressos vendidos na semana de estréia. "Não houve nenhuma controvérsia sobre o tema do filme. "Nós israelenses gostamos de rir de nós mesmos", disse Amnon Matalon, da distribuidora israelense Matalon.  

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.