TV abre espaço para festival de Gramado

Em quase 30 anos (o evento que começa hoje na serra gaúcha é o de número 29), o Festival de Gramado firmou-se como um dos mais importantes do País, mas ainda não tem força para tentar resolver os problemas da exibição, ajudando a colocar os filmes nos cinemas. Não Quero Falar sobre Isso Agora, que o Canal Brasil, da Net/Sky, exibe às 21h15 - logo após o curta O Dia em Que Dorival Encarou a Guarda, de Jorge Furtado e José Pedro Goulart -, ganhou cinco Kikitos em 1991. Está até hoje inédito em São Paulo. Só passou numa sessão especial, para convidados, no CineSesc. O filme foi atropelado pela confusão que se seguiu à derrocada da produção nacional, operada no governo Collor. Ganhou os prêmios de melhor filme (para o júri e a crítica), melhor atriz (dirivido entre Marisa Orth e Eliana Fonseca), roteiro (do próprio diretor Mauro Farias, Melanie Dimantas e Evandro Mesquita) e som. Não se justifica esse ineditismo. O próprio Evandro Mesquita interpreta o eterno menino do Rio que luta para vencer na vida sem perder a praia. O personagem tem muito a ver com o malandro da série criada por Hugo Carvana - seria a sua versão atualizada - e o curioso é que Vai Trabalhar Vagabundo 2 - A Volta foi o outro vitorioso de Gramado naquele ano. Leve, divertido, Não Quero Falar já foi definido como "comédia de maus costumes". E o bom é que abre a programação que o Canal Brasil dedica a Gramado, exibindo a cobertura do festival no Cinejornal (às 19h30) e os curtas e longas vencedores do Kikito às 21 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.