Turco leva Urso de Ouro e Polanski é melhor diretor em Berlim

Já o Grande Prêmio do Júri foi concedido à coprodução romeno-sueca 'Eu Cand Vreau sa Fluier, Fluier'

Efe,

20 Fevereiro 2010 | 18h04

Preso na Suíça, Polanski foi premiado por 'The Ghost Writer'. Foto: Tobias Schwarz/Reuters

 

BERLIM - O filme turco "Bal", de Semih Kaplanoglu, ganhou neste sábado, 20, o Urso de Ouro da 60ª edição do Festival de Berlim, enquanto Roman Polanski, ausente do evento por estar em prisão domiciliar na Suíça, levou o Urso de Prata de melhor diretor por "The Ghost Writer". Polanski, cuja inclusão na competição foi interpretada como um afago ao colega por suas pendências com a justiça americana, recebeu o prêmio pelo filme no qual o personagem de Ewan McGregor escreve as memórias do ex-primeiro-ministro britânico e descobre uma trama sobre os sequestros da CIA no Iraque.

 

Veja também:

Filme sobre catadores de lixo do Brasil é premiado em Berlim

LUIZ CARLOS MERTEN: Embora com alguns exageros, o júri fez a coisa certa

 

"Bal", terceiro filme de Kaplanoglu sobre a região turca da Anatólia, é uma produção poética, feita de silêncios, sobre uma criança que só fala por meio de sussuros com seu pai. O júri da Festival de Berlim, presidido por Werner Herzog, concedeu seu Grande Prêmio para o jovem diretor romeno Florin Serban por "Eu Cand Vreau sa Fluier, Fluier", uma coprodução entre Romênia e Suécia. O filme também ganhou o prêmio Alfred Bauer, que homenageia o fundador do festival.

 

A japonesa Shinobu Terajima faturou o Urso de Prata de melhor atriz por sua atuação como a abnegada esposa de um soldado japonês que retorna da guerra em "Caterpillar", de Koji Wakamatsu. Os atores russos Grigori Dobrygin e Sergei Puskepalis dividiram o Urso de Prata de melhor interpretação masculina pelo trabalho em "Kak ja Provel Etim Letom", de Alexei Popogrebsky, filme sustentado inteiramente na atuação da dupla. O filme russo também ganhou o Urso de Prata de melhor contribuição artística pelo trabalho do cinegrafista Pavel Kostomarov.

 

Por fim, o 60º Festival de Berlim concedeu o Urso de Ouro honorário à diva do cinema alemão Hanna Schygulla e ao lendário roteirista Wolfgang Kohlhaase, ativo desde os tempos da extinta Alemanha Oriental.

 

Atualizada às 19h20 para acréscimo de informações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.