'Tropa de Elite' é escolhido melhor filme no Festival de Berlim

O filme "Tropa de Elite" ganhou o principal prêmio do Festival de Cinema de Berlim neste sábado, numa decisão que pode gerar ainda controvérsia. O longa-metragem dividiu a crítica no festival, sendo apontado como uma obra "fascista" por alguns e outros afirmando tratar-se de um filme "inteligente". Polêmica semelhante ocorreu no Brasil antes mesmo da estréia, já que uma cópia do longa vazou para o mercado pirata, onde se estima que tenha sido vendido um milhão de cópias. Na cerimônia de premiação, o produtor Marcos Prado disse ao diretor José Padilha: "Você fez um filme corajoso sobre a corrupção na polícia no Brasil". O roteiro de "Tropa de Elite" foi escrito por Padilha e Bráulio Mantovani, do filme "Cidade de Deus". É uma ficção ambientada em 1997, quando se preparava uma nova visita do Papa João Paulo 2o ao Brasil. O protagonista --capitão Nascimento, interpretado pelo ator Wagner Moura-- é um policial que acredita no seu trabalho e tem a chance de uma promoção. Para comandar uma operação de "limpeza" de criminosos, Nascimento passa a chefiar a tropa que sobe o morro e fica cara a cara com os traficantes. O longa brasileiro leva o Urso de Ouro exatamente dez anos depois de "Central do Brasil", de Walter Moreira Salles. Em 1998, o Urso de Prata de melhor atriz foi entregue a Fernanda Montenegro. Neste ano, levou o Urso de Prata de melhor diretor Paul Thomas Anderson, por "Sangue Negro". O de melhor ator foi para Reza Naji, do iraniano "The Song of Sparrows", e o de melhor atriz para Sally Hawkins, do britânico "Happy-go-Lucky". Na opinião do júri em Berlim, o chinês "In Love we Trust" tinha o melhor roteiro. O prêmio Alfred Bauer foi para o mexicano "Lake Tahoe". (Colaborou Fernanda Ezabella)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.