"Triplo X" traz novo herói das telas

Raspe o cabelo de Adam Sandler, deixe o cara bombado e o resultado é... Vin Diesel. É impressionante a semelhança do comediante de O Paizão com o novo astro de ação de Hollywood. Você poderá confirmá-lo nesta sexta-feira, com a estréia de XXX - Triplo X. O filme de Rob Cohen cria o James Bond do terceiro milênio e ele é interpretado por Diesel. Nos EUA, o filme bateu recordes e virou o maior êxito do verão. Não é de duvidar que repita o sucesso aqui. A Columbia põe a maior fé nesse lançamento, que terá 377 cópias em exibição em 391 salas. do País. Para todo o lado que você se virar verá Vin Diesel. Na verdade, já está vendo. As capitais brasileiras foram invadidas pelos outdoors com a cara de Diesel.Não é bem a cara, é verdade. Ele aparece meio de lado, mais músculos do que qualquer outra coisa. Mas é Adam Sandler marombado. Quando ele não está correndo, batendo, atirando, a boca fica aberta e Diesel revela sua cara de bobo. Ou ele é mesmo ou é ótimo ator. O estilo apalermado de ação e humor está em alta. Viva Adam Sandler, viva Vin Diesel!É o segundo filme que ele faz com o diretor Cohen. O primeiro, Velozes e Furiosos, passou bem nos cinemas brasileiros, mas estourou mesmo no mercado de vídeo e DVD. Diesel foi uma imposição do diretor, tão logo foi cooptado para fazer o filme escrito por Rich Wilkes. O roteirista passava a lua-de-mel em Bora Bora. Pelo visto, estava meio entediado, porque teve tempo de ver muitos filmes na TV e ler alguns pulps. Wilkes sempre gostou de filmes de espionagem. Achou que era tempo de criar um herói para os dias de hoje.Partiu da constatação óbvia: Sylvester Stallone está tão fora de forma que chega a ser patético quando corre na tela. Arnold Schwarzenegger é outro que não convence mais: mesmo de plástica e cabelo pintado, Mr. Músculos não esconde o peso dos anos. Entra em cena Vin Diesel. É duro de agüentar como ator, mas há que lhe fazer justiça: ele não se leva a sério. Diesel não teme expor-se ao ridículo de passar por palhaço de si mesmo. E cria uma novidade em relação a Stallone e Schwarzenegger. Na linhagem de James Bond, é um herói que adora fazer sexo - nisso se equiparando a The Rock, o homem-montanha do melhor filme de aventuras do ano, até agora: "O Escorpião-Rei", de Chuck Russell.Retalhos - Embora Wilkes tenha convencido meio mundo - críticos inclusive - de que seu conceito é original, o que ele fez foi criar um herói-Frankenstein. XXX - Triplo X é uma colcha de retalhos, com situações e personagens roubados de diversos filmes. O modelo de Diesel e seu triplo XXX - ele usa a tatuagem na nuca - é, obviamente, 007, mas não fica nisso. O herói é um marginal vidrado em esportes radicais que está indo para a cadeia, onde já estão os (anti)heróis de Os Doze Condenados, no começo do filme de Robert Aldrich. Justiça seja feita ao grande Aldrich: seu filme de 1966, no qual ele implodiu as regras que disciplinavam o uso da violência na produção de Hollywood, permanece como o marco zero de heróis de comportamento anti-social como Triplo X.Não falta nem mesmo uma espetacular avalanche provocada pelo herói e que entra na história um pouco para mostrar a destreza dos efeitos especiais, mas também para repetir, em live action, a seqüência famosa de A Era do Gelo. Já que se trata de um rebelde, a trilha tem de ter rap, mas é bom desconfiar da insolência de Triplo X, quando ele ironiza sobre a cara cortada do veterano agente Gibbons (Samuel L. Jackson, num papel semelhante ao de ´M´, Bernard Lee, na série de "007"), dizendo que aquilo é seu pagamento por serviços prestados à pátria. Mais tarde, na hora do perigo, Triplo X também vai desfraldar a bandeira norte-americana. Perdão: é o pára-quedas que tem a forma da bandeira, repetindo um antigo efeito num filme com Roger Moore como James Bond, só que lá a bandeira era inglesa.Enfim, não há nada novo sob o sol. Nada se cria, tudo se copia. As verdadeiras novidades de "Triplo X", o filme, são duas. Uma é a surpreendente decisão do diretor Cohen de transformar em triple-X girl a cultuada atriz e diretora italiana Asia Argento. A filha de Dario é uma exibicionista magistral, como sabem os espectadores de seus nus frontais em Scarlet Diva. Cohen poderia ter ido mais fundo com ela. E dois: o filme chega um ano depois do fatídico 11 de setembro e não há um vilão árabe na história. Os vilões são russos, hoje em dia tão correntes, na produção mais politicamente correta de Hollywood, quanto os nazistas.Serviço - XXX ? Triplo X (XXX ? Triple X) ? Ação. Dir. Rob Cohen. EUA/2002. Dur. 123 min. Com Vin Diesel, Samuel L. Jackson, Asia Argento. 14 anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.