Tribeca vira meca do cinema

O bairro nova-iorquino de TriBeCa, um dosmais atingidos pelos atentados terroristas de 11 de setembro,ressurge como a meca do cinema na Costa Leste dos EstadosUnidos. Robert De Niro, há vários anos entusiasta da região, quefica no sul de Manhattan, organiza esta semana a primeira ediçãodo TriBeCa Film Festival, com a exibição de mais de 150 filmesem cinco dias. A vizinhança assume sua vocação comoquartel-general da produção cinematográfica também por conta dapresença dos escritórios da Miramax e diversas produtoras.O bairro que tem como nome a abreviação de sua localização(Triangle Below Canal, ou "triângulo abaixo da Rua Canal") éum dos mais charmosos da cidade, reunindo a arquiteturaindustrial dos armazéns transformados em lofts de primeiraclasse e ruas com pouco movimento que, desde os anos 80,passaram a reunir alguns dos melhores restaurantes de Nova York.Nos últimos anos, com a inauguração do Hudson River Park, nolado Oeste da ilha, e a abertura de bares, clubes e lojas, aregião passou a ficar cada vez mais movimentada.Embora outras celebridades tenham escolhido TriBeCa como moradianos últimos tempos (um dos mais ilustres era John F. KennedyJr.), De Niro virou uma espécie de embaixador do bairro. É ali queestá o badalado restaurante Nobu, do qual é sócio, e a sede doTriBeCa Film Center, sua produtora de filmes, um complexo queinclui até uma sala de exibição com restaurante, o ScreeningRoom, aberto ao público. Foi o aval do astro que acabou atraindoprodutoras como a Shooting Gallery e o estúdio Miramax à região_ que ganhou há poucos anos até um spa especializado emtratamentos masculinos, para atender a clientela de executivosdo cinema.Desde setembro, o bairro, que fica imediatamente acima da regiãodo World Trade Center, sofreu um forte impacto econômico,perdendo o movimento diurno, do público que freqüentava astorres, e também noturno, já que a região ficou isolada porvárias semanas depois da tragédia. Várias promoções estão sendofeitas para ajudar restaurantes e lojas locais, mas o TriBeCaFilm Festival é a iniciativa mais poderosa realizada até agora.De Niro e sua sócia, Jane Rosenthal, tinham planos de realizarum festival de cinema independente havia vários anos. "Depoisde ver o bairro afetado de uma maneira tão forte, sentimos aobrigação de fazer alguma coisa para ajudar a região e estimulara economia do sul de Manhattan", diz a produtora no material dedivulgação do evento, que toma conta das várias salas deprojeção da vizinhança entre quarta-feira e domingo.A American Express, que também teve uma de suas centraisafetadas com o atentado terrorista, aceitou patrocinar aspróximas edições do festival e, com a ajuda de nomes como MartinScorsese, Susan Sarandon, Whoopi Goldberg e Meryl Streep, nãofoi difícil concretizar a idéia. Entre as 150 produções queserão mostradas, 11 são estréias mundiais, incluindo filmes comoInsomnia, com Al Pacino, Robin Williams e Hilary Swank;About a Boy, com Hugh Grant, e Divine Secrets of the Ya YaSisterhood, com Ellen Burstyn. Para garantir o sucesso, atéuma pré-estréia beneficente de Episódio 2: Ataque dos Clonesestá programada para o domingo, quatro dias antes da estréia donovo filme de George Lucas nos cinemas. Uma mostra de produções de vários países forma o InternationalShowcase e uma vasta seleção de longas-metragens,curtas-metragens e documentários independentes disputam prêmiosno Independent Film Competition. O festival também abre aopúblico, pela primeira vez, uma série de reapresentações deproduções importantes do cinema, incluindo "clássicosindependentes" dos anos 90, como Party Girl, que lançouParker Posey, e o "surrealista" Suture.Há até um programa dos melhores filmes sobre a cidade de NovaYork, escolhidos por Scorsese, incluindo Manhattan, de WoddyAllen, O Homem Errado, de Alfred Hitchcock, e A MortePassou por Perto, de Stanley Kubrick. O cineasta tambémescolheu cinco filmes que tiveram cópias recentementerestauradas sob sua supervisão, como Viva Zapata!, Rio da Aventura e The BigSky e Pistoleiro sem Destino. Os organizadores esperam atrair umpúblico de 30 mil pessoas para a região durante os cinco dias doevento.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.