Tragédia de 11 de setembro ganha Hollywood

Hollywood está atrás de histórias de heroísmo relacionada com a tragédia do World Trade Center. Vários negócios de compra de direitos autorais foram feitos nas últimas semanas. Reportagens e livros sobre osatentados terroristas de 11 de setembro ainda vão tomar conta daTV e dos cinemas no futuro próximo. A emissora de TV CBS abriu ocaminho para novos projetos com o documentário 9/11, queteve uma audiência de 39 milhões de americanos na noite dedomingo.Inicialmente, o programa com imagens inéditas rodadasdentro do World Trade Center em 11 de setembro provocou certa controvérsia. Famílias das vítimas tinham receio do queseria mostrado nas cenas rodadas pelos irmãos franceses Gedeon eJules Naudet, os únicos a filmar o choque doprimeiro avião contra uma das Torres Gêmeas. O documentário,elogiado pela crítica, fez sucesso de público e confirmou que oassunto já pode ser tratado por Hollywood sem que sejaconsiderado de mau gosto.A emissora de TV americana ABC comprou o livro Reportfrom Ground Zero, de Dennis Smith, que vai ser a base de umtelefilme homônimo. O livro será lançado na próxima semana,pela editora Viking. Para o projeto, o autor trabalhou por maisde 50 dias com as equipes de resgate. A quantia(não-revelada) que ele recebeu como adiantamento vai serrepassada ao New York Police and Fire Widows´ and Children´sFund. O escritor é um bombeiro aposentado conhecido pelo livroReport From Engine Company 82.A agência de talentos Intl. Creative Management, por suavez, está atrás de um comprador para os direitos de filmagem doartigo The Real Heroes Are Dead, de James Stewart, publicadopela revista New Yorker. O projeto já tem o comprometimentode dois nomes importantes de Hollywood: a atriz Susan Sarandon eseu marido, o ator e diretor Tim Robbins. O casal pretendefilmar a love story de Rick Rescorla e Susan Greer.A história de The Real Heroes Are Dead será sobreo relacionamento de Rescorla e Greer, que começou quando eles jáestavam na meia idade. Ele era chefe de segurança da empresaMorgan Stanley Dean Witter e morreu ao tentar evacuar um dosedifícios. O ex-militar chegou a telefonar para a mulher, dizerque estava bem e que precisava ficar lá para fazer seutrabalho.O canal de TV por assinatura HBO, por sua vez, vaiconcentrar no ex-prefeito Rudolph Giuliani seu documentáriosobre os ataques terroristas. O programa, sobre a maneira como opolítico e seu time da prefeitura lidaram com a emergência emNova York, vai ser exibido no feriado de Memorial Day. O canalde TV por assinatura USA também está rodando um telefilme sobrea vida do ex-prefeito, que virou herói nacional pela maneiracomo lidou com a tragédia.O estúdio MGM fez um acordo com Lawrence Wright, que vaiadaptar seu próprio texto para a revista New Yorker, TheCounter-Terrorist. O filme vai contar a história de JohnO´Neill, um ex-agente do FBI que concentrou sua carreira em Osama bin Laden e na organização terrorista Al Quaeda. Ele deixou o FBI para cuidar da segurança do World Trade Center no início de setembro e morreu nosatentados terroristas.A atriz Goldie Hawn está envolvida em um projeto sobreos passageiros do vôo 93, da United Airlines, um dos aviõesseqüestrados em 11 de setembro, que caiu no interior daPensilvânia. O projeto, do canal de TV por assinatura F/X e daempresa Cosmic Entertainment, será baseado em um artigopublicado em dezembro pela revista Vanity Fair.A CBS também vai desenvolver um filme sobre o drama dovôo 93. O projeto, do jornalista e produtor Lawrence Schiller,deve ter sua ação passada em tempo real desde o momento doembarque do vôo no aeroporto de Newark, em New Jersey. A empresacanadense Alliance Atlantis vai produzir um projeto sobre aconexão terrorista de Berlim, na Alemanha, onde moraram váriosdos seqüestradores de 11 de setembro.10 Days in September, por sua vez, vai contar tudo oque aconteceu entre 11 e 20 de setembro, quando o presidenteGeorge W. Bush fez um discurso para o Congresso americano. Odocumentário do Showtime, com cerca de duas horas de duração,será produzido por Edgar Scherick e Lionel Chetwynd, quepretendem entrevistar o presidente para o programa. O filme devemisturar imagens de arquivo com partes encenadas por um elencoque ainda não foi escolhido.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.