Tom Tykwer filma roteiro inédito de Kieslowski

Você já viu ou leu sobre esse filme não muito tempo atrás. Um gênio do cinema morre, deixando um roteiro pronto, que poderia vir a ser base de um próximo projeto. Um outro desponta, assume a história e realiza a sua versão dos fatos. Foi assim com A.I. - Inteligência Artificial, que Stanley Kubrick desenvolveu por mais de duas décadas, mas foi concluída, depois da morte do diretor em 1999, por Steven Spielberg.Vai ser assim também no próximo dia 6, quando o filme Heaven, a estréia do cineasta alemão cult Tom Tykwer (de Corra, Lola, Corra) num roteiro em inglês, abrir a 52.ª edição do Festival de Berlim. Heaven é a primeira parte de uma trilogia que o cineasta polonês Krzysztof Kieslowski, um dos maiores cineastas do cinema moderno, escreveu antes de falecer prematuramente (chocando a comunidade cinematográfica mundial) em 96, aos 55 anos.Em parceria com o roteirista polonês Krzysztof Piesiewicz, com quem escreveu a trilogia baseada no ideário das cores da bandeira francesa (A Liberdade é Azul, A Igualdade é Branca e A Fraternidade é Vermelha), Kieslowski idealizou uma série de três filmes sob os sugestivos nomes de Heaven, Hell e Purgatory (Paraíso, Inferno e Purgatório). O estúdio americano Miramax, responsável pelo lançamento dos últimos quatro filmes do cineasta nos EUA, detém os direitos dessa trilogia. Cada história foi desenvolvida para ser ambientada numa cidade diferente do planeta, a começar por Torino, na Itália. Heaven também representaria a estréia de Kieslowski num roteiro em inglês.Nas últimas semanas, Tykwer vem finalizando Heaven no mesmo ritmo frenético que imprimiu em seus dois maiores sucessos internacionais (Corra, Lola, Corra e A Princesa e o Guerreiro, este último ainda a ser lançado no Brasil). "Para mim, Heaven parece um bebê no ventre, ainda muito vulnerável, por isso estou relutando em comentá-lo, apesar de toda a curiosidade", disse o cineasta em entrevista a reportagem do Estado. "Trata-se de um roteiro finalizado de Kieslowski, que para mim é um dos gigantes do cinema", conclui o cineasta que elege A Liberdade é Azul como o filme favorito do pungente e transcendental legado de Kieslowski.Heaven é estrelado pela atriz australiana Cate Blanchett e o ator americano Giovanni Ribisi. Cate interpreta Phillippa, uma professora de inglês que vive em Torino. Mas, ao contrário do que o título do filme pode prometer, sua vida é um inferno. As drogas silenciaram vários amigos, assim como o marido dela. Ao descobrir o chefe da quadrilha de traficantes que forneceu o coquetel da overdose fatal do marido, Phillippa procura a ajuda das autoridades italianas. Sem sucesso, decide fazer justiça com as próprias mãos, criando uma bomba caseira, cuja detonação a joga numa jornada kieslowskiana. Após ser presa, ela se apaixona por um policial, Filippo (Ribisi), com quem irá viver um romance redentor.Sondagens - "Por muito tempo, a gente ficou ouvindo rumores sobre essa trilogia", diz Annette Insdorf, professora de cinema da Columbia University, em Nova York, e autora de um livro sobre a obra de Kieslowski, Double Lives, Second Chances (Hyperion, US$ 29,95). Segundo a autora foram três os diretores "oficialmente" sondados para dirigir Heaven: o alemão Wim Wenders, o neozelandês Vincent Ward (de Navigator), e o macedônio Milcho Manchevski (Antes da Chuva).Annette, que serviu de intérprete de Kieslowski em vários festivais internacionais ao longo da década de 80 e começo da de 90, também só diz ter tido acesso a um dos roteiros da trilogia. "Sei que Kieslowski finalizou Heaven, pois ele me deixou passar os olhos por um dos tratamentos do script; mas não posso comentar sobre os outros dois." Os planos da Miramax são os de ter outros cineastas, e não apenas Tykwer, no comando das duas outras produções. Antes de morrer, Kieslowski brincou dizendo que achava que o Inferno deveria ser rodado na cidade de Los Angeles.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.