Divulgação
Divulgação

'The Artist' ganha prêmio da crítica de Nova York

Filme mudo e em preto-e-branco está surpreendendo os fãs de cinema nesta final de ano

CHRIS MICHAUD, REUTERS

29 de novembro de 2011 | 19h11

NOVA YORK (Reuters) - O Círculo de Críticos Cinematográficos de Nova York escolheu nesta terça-feira o filme mudo The Artist como o melhor do ano, e concedeu prêmios também a Meryl Streep e Brad Pitt.

Michel Hazanavicius foi eleito melhor diretor por The Artist, filme em preto e branco sobre a transição do cinema mudo para o falado em Hollywood, no final da década de 1920, mostrando o impacto disso para a vida de um ator.

Nesse drama romântico, um casal interpretado por Jean Dujardin e Bérénice Bejo está em momentos distintos da sua trajetória profissional - ela em ascensão, ele em decadência.

O filme começou a chamar a atenção nos festivais deste ano, e recebeu críticas positivas. Com o prêmio de terça-feira, The Artist se credencia para o Oscar, a ser entregue em fevereiro.

Streep recebeu o prêmio de melhor atriz da associação de críticos por seu papel em The Iron Lady, em que ela interpreta a ex-primeira-ministra britânica Margaret Thatcher. Pitt foi citado por dois papéis - O Homem que Mudou o Jogo e A Árvore da Vida.

Essa é a quarta vez que o Círculo de Críticos de Nova York dá a Streep o prêmio de melhor atriz. Para Pitt, o prêmio é inédito.

 

Jessica Chastain foi escolhida como melhor atriz coadjuvante por seus papéis em A Árvore da Vida, Histórias Cruzadas e O Abrigo. Albert Brooks foi o melhor coadjuvante, por Drive.

O prêmio de melhor roteiro foi conferido a Steve Zaillian e Aaron Sorkin, por O Homem que Mudou o Jogo. Emmanuel Lubezki (A Árvore da Vida) ganhou o prêmio de fotografia. O iraniano Uma Separação foi eleito melhor filme em língua estrangeira.

Cave of Forgotten Dreams, filmado em 3D por Werner Herzog, foi o melhor documentário. Um prêmio especial foi concedido ao diretor franco-chileno Raoul Ruiz, morto em agosto, aos 70 anos.

Os críticos desprezaram dois filmes cotados como favoritos ao Oscar, Os Descendentes e Beginners.

O Círculo de Críticos Cinematográficos de Nova York foi fundado em 1935, abrangendo atualmente profissionais de jornais, semanários, revistas e de alguns sites de interesse geral.

A eleição é parte da temporada de prêmios que pode influenciar a concessão do Oscar, feita por membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, na Califórnia.

Tudo o que sabemos sobre:
FILMECRITICOSNY*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.