EFE
EFE

Termina nesta quinta-feira o prazo de inscrição do Oscar

O novo recordista da Argentina, 'El Clan', vai concorrer à indicação de filme estrangeiro com 'Que Horas Ela Volta?', com Regina Casé

Luiz Carlos Merten, O Estado de S. Paulo

29 Setembro 2015 | 20h26

Termina nesta quinta-feira, 1.º de outubro, o prazo para que cinematografias de todo o mundo apresentem à Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood os títulos dos filmes que vão concorrer a uma vaga na próxima edição do Oscar. No começo de 2016, a Academia aponta os nove finalistas. No dia 14 de janeiro, saem os cinco indicados para melhor filme estrangeiro - e todos os demais indicados, em todas as categorias.

O Brasil indicou Que Horas Ela Volta? e o filme de Anna Muylaert, que não fazia boa bilheteria, reagiu e vem lotando as salas desde que a Ancine apresentou sua candidatura. Além de uma eventual indicação para o filme, há a expectativa de que Regina Casé repita Fernanda Montenegro em Central do Brasil e seja indicada para melhor atriz. Em janeiro, Regina, que faz Val, a doméstica, e Camila Márdila, que interpreta sua filha, Jéssica, receberam o prêmio especial do júri em Sundance. Poderá ser o passaporte para que qualquer uma das duas - mas as apostas centram-se em Regina - tenha seu momento de glória no Oscar.

Quase todos os países já fizeram suas indicações. A Argentina indicou El Clan, de Pablo Trapero, que virou a nova sensação nas salas do país vizinho. El Clan superou o recorde histórico de Relatos Selvagens (500 mil espectadores na estreia) e virou um fenômeno nacional. Será o filme que vai encerrar, em presença do diretor, o Festival do Rio, em 12 de outubro (o evento começa justamente nesta quinta). Nada indica que será uma escolha fácil para ‘os velhinhos da Academia’, como são apontados (pela idade) os votantes da categoria.

Também estão indicados Yzcanul, de Jayro Bustamente, da Guatemala, e Aferim, de Radu Jude, da Romênia, premiados no Festival de Berlim; A Assassina, de Hou Hsiao-hsien, de Taiwan, o melhor filme de Cannes, em maio; As Mil e Uma Noites (o volume 2, apenas), de Miguel Gomes, de Portugal. Pela primeira vez na história, a Espanha indicou um filme falado em basco para o prêmio - Loreak, de Jon Garaño e José Mari Goenaga. A França não selecionou o vencedor da Palma de Ouro. Ao invés de Dheepan, de Jacques Audiard, indicou Mustang, de Deniz Gamze Ergüven, falado em turco.

Mais conteúdo sobre:
Oscarcinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.