Telecine Cult exibe o ótimo filme alemão <i>Adeus, Lenin!</i>

Adeus, Lenin! (Telecine Cult, 22 horas), de Wolfgang Becker, foi o indicado da Alemanha para disputar o Oscar. Muito justo. É uma comédia carinhosa e, ao mesmo tempo, crítica sobre o fim do socialismo. Mais que isso, sobre o fim das utopias. O filme conta a história de Christiane Kerner (Katrin Sass), que foi deixada pelo marido e que, por vocação ou fuga, se torna uma militante ferrenha do socialismo na Alemanha Oriental. Um certo dia, ao ver o filho em uma manifestação contrária ao regime, ela tem uma síncope e entra em coma. Enquanto ela dorme em sono tranqüilo, o mundo gira e tudo muda. O Muro cai e os camaradas, em vez de freqüentarem as reuniões do partido, passam a freqüentar o shopping center. Até que ela desperta. O filho, Alex, decide poupar a mãe do choque, no mínimo cultural, que ela vai sofrer. Com ajuda de amigos, cria uma réplica da antiga sociedade. Grava em fita imitações dos programas de TV mais que aborrecidos e faz a mãe acreditar que eles são fresquinhos e ao vivo. Consegue até exumar iguarias do tempo do comunismo, como os famosos pepinos em conserva, e faz a alegria da mãe convalescente. Há cenas hilariantes. E há outras tristíssimas, ou seja, como a vida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.