Telecine Cult exibe "O Livro da Vida", de Hartley

Diretor de filmes minimalistas, o americano Hal Hartley deve sua fama, entre os cinéfilos brasileiro, à Mostra Internacional de Cinema São Paulo, que o revelou com numerosos autores cujos nomes, com certeza, ultrapassariam os limites deste texto, nos 30 anos que o evento comemora agora em outubro. O espectador dos filmes de Hartley sabe que vai ver um filme urbano, narrado com extrema economia, praticamente sem clímax. Quando existem, eles não costumam ser nem um pouco bombásticos.Desanimou? Não faça isso. No Telecine Cult, às 18h20, passa nesta segunda-feira "O Livro da Vida", que estreou na TV paga no sábado, no mesmo canal. Martin Donovan, o ator-fetiche de Hartley, está no elenco - se não estivesse, o filme, provavelmente, não seria do diretor. Produção franco-americana de 1998, "O Livro da Vida" conta essa história um tanto bizarra do Cristo que, na noite de 31 de dezembro de 1999, desembarca incógnito no aeroporto de Nova York. O filho de Deus vem disputar com o Diabo as almas dos fiéis na virada do milênio, mas a verdade é que o Senhor não está muito convencido de que a humanidade mereça ser salva. Diálogos irônicos, situações inusitadas, não é programa para todos os gostos, mas os tietes de Hartley vão gostar.

Agencia Estado,

25 de setembro de 2006 | 15h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.