Telecine Cult exibe o iraniano <i>Filhos do Paraíso</i>

Começa nesta sexta-feira a segunda semana da 30.ª Mostra Internacional de Cinema São Paulo, o maior evento de cinema da cidade (e um dos dois maiores do País, com o Festival do Rio). Ao longo de todo este tempo, Leon Cakoff tem sido responsável por importantes descobertas para o espectador brasileiro. Ele ajudou a impor autores - e cinematografias. Entre essas, destaca-se, claro, a iraniana. Sem a Mostra, Abbas Kiarostami, Mohsen Makhmalbaf, Jafar Panahi e Bahman Ghobadi (jurado da 30.ª Mostra) não se teriam tornado conhecidos no Brasil.Vale lembrar isso a propósito de um belo filme iraniano que passa nesta sexta-feira às 18h45 no Telecine Cult. Filhos do Paraíso foi dirigido por Majid Majidi. É interpretado por Mohammad Amir Naji e Amir Farrokh Hashemian. Conta a história desses dois irmãos, duas crianças, que compartilham o mesmo sapato para ir à escola. A produção de 1997 tem um tom que lembra o neo-realismo italiano, filtrando a realidade iraniana pelos olhar das crianças.O cinema iraniano mudou muito, em relativamente pouco tempo. Começou assim, ligado à infância e simples como técnica. Está cada vez mais sofisticado. Abbas Kiarostami faz hoje um cinema ensaístico de ponta sem igual em todo o mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.