Telecine Cult exibe <i>O Rio das Almas Perdidas</i>

Pode-se elogiar um filme pela paisagem? Sim - se o filme em questão for O Rio das Almas Perdidas, que Otto Preminger realizou em 1954, com Robert Mitchum, Marilyn Monroe e Rory Calhoun. Preminger foi um grande autor que, nos anos 50, fez história em Hollywood, batendo-se contra a censura para realizar filmes que eram considerados proibidos pelos códigos vigentes na indústria. O Rio passa às 19h45 no Telecine Cult. Robert Mitchum salva Rory e Marilyn, mas a recompensa do segundo é fugir deixando a dupla entregue a um ataque dos índios. A solução é tentar fugir pelo rio, cujas corredeiras representam a vertigem dos relacionamentos humanos. Poucos filmes integram tanto a natureza ao drama. O crítico Jean Tulard não exagera ao dizer que Preminger poderia ter sido um poderoso diretor de westerns. Como autor, ele realizou grandes filmes de gêneros (Laura e Carmen Jones), mas sua melhor fase foi no começo dos anos 60, quando tratou do tema da luta do homem contra as instituições em obras-primas como Tempestade sobre Washington, O Cardeal e A Primeira Vitória. Preminger não inventou o plano-seqüência, mas foi dos primeiros a usá-lo em toda a sua complexidade (nos anos 40). Marilyn é qualquer coisa, linda e sexy como só ela.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.