Telecine Cult exibe <i>Não Amarás e Não Matarás</i>

O quinto mandamento: Não matarás. Este também é um dos dez episódios de Decálogo, série que Krzysztof Kieslowski dirigiu para a TV polonesa no fim da década de 80. O que a priori seriam dez histórias, uma leitura contemporânea de cada mandamento, acabou virando uma obra-prima do cinema. Não Amarás e Não Matarás (nesta terça-feira, às 23h45 no Telecine Cult) ganharam vida própria e foram levados para o cinema. Na história que vai ao ar nesta terça, um jovem polonês tem fascínio pela violência e acaba assassinando brutalmente um motorista de táxi. Ele vai preso e é defendido por um advogado idealista que se vê diante de um dilema moral e, por que não dizer, kafkiano. O defensor não sabe se mais arbitrário é seu cliente ou os meandros e a morosidade do sistema judiciário completamente totalitário. Cinema em sua essência, Não Matarás economiza nas palavras para retratar em imagens, com o ceticismo tão característico do cineasta, não só a morte do taxista, mas a do jovem. Nessa tragédia seca e densa, também morre quem atira. Em tempos em que enforcamentos podem ser assistidos por qualquer um na internet, a lógica bárbara de um Estado que responde à violência com mais violência ainda não poderia, infelizmente, ser mais atual.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.