Tatum O'Neal diz que polícia de Nova York a salvou das drogas

Atriz, que foi detida no momento em que tentava comprar crack e cocaína, afirma que continua 'limpa'

Efe,

08 de junho de 2003 | 13h22

A atriz norte-americana Tatum O'Neal, detida em Nova York no domingo, 1, quando tentava comprar crack e cocaína, agradeceu à polícia por tê-la "salvo" de cair outra vez no mundo das drogas, segundo publicou nesta terça exclusivamente o jornal New York Post.   "Estou limpa", afirmou, após passar a noite na prisão. "Justo quando ia mudar isto (sua sobriedade) e arruinar minha vida, a polícia veio e me salvou".   Tatum O'Neal, filha do ator Ryan O'Neal, foi viciada em heroína durante anos. Ela afirma que foi "salva pelo gongo", após ser detida por membros do Departamento de Narcóticos de Manhattan a alguns passos de seu apartamento.   A ex-mulher do tenista John McEnroe contou ao jornal de Nova York que há três semanas teve que sacrificar sua cadela Lena, uma Scottish terrier, que tinha câncer. A morte do cachorro, que tinha 16 anos, afetou a atriz, que já perdeu há dez anos sua mãe, a atriz Joanna Moore, por um câncer de pulmão, e que está brigada com seu pai.   A atriz, de 44 anos, que nunca havia sido presa antes, considera que as 18 horas durante as quais esteve detida ajudaram a "acordá-la".   Tatum, vencedora do Oscar de melhor atriz coadjuvante por Lua de Papel (1973), explicou em suas memórias A Paper Life (Uma Vida de Papel, em tradução livre), que sua inclinação às drogas estava no DNA, pois sua mãe era alcoólatra e usava anfetaminas.   Em suas memórias, Tatum também conta que seu pai, protagonista de Uma História de Amor (1970), a introduziu prematuramente ao sexo e às drogas.   A atriz teve três filhos com McEnroe - Kevin, Sean e Emily -, cuja guarda ficou com o tenista após um divórcio conturbado, devido ao vicio de Tatum. Agora, ambos mantêm um bom relacionamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Tatum O'Neal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.