Sergio Castro/ Estadão -23/11/2015
Sergio Castro/ Estadão -23/11/2015

Tarantino planeja filme sobre assassinatos de Charles Manson

Apesar de se tratar de um projeto em fase embrionária, diretor pensa em nomes como Brad Pitt e Jennifer Lawrence

O Estado de S.Paulo

12 de julho de 2017 | 11h36

O diretor americano Quentin Tarantino está dando os primeiros passos para gravar um filme sobre Charles Manson e os assassinatos cometidos por seus fanáticos seguidores na Califórnia, conhecidos como A Família, informou nesta terça-feira o site The Hollywood Reporter.

Apesar de se tratar de um projeto em fase embrionária, Tarantino escreverá e dirigirá o filme, para o qual já entrou em contato com Brad Pitt e Jennifer Lawrence. No entanto, o diretor ainda não chegou a um acordo com ambos.

Tarantino ainda está finalizando o roteiro do longa-metragem, que está sem título, e que contará com os irmãos Harvey e Bob Weinstein na produção, habituais colaboradores do diretor.

O objetivo mais imediato de Tarantino é buscar um estúdio que queira participar do financiamento e da distribuição do filme que, se aprovado, pode começar a ser gravado em 2018.

Em 1969, Charles Manson e um grupo de seus seguidores da seita "A Família" assassinaram brutalmente sete pessoas em Los Angeles. Os crimes comoveram os EUA e marcaram simbolicamente a contracultura dos anos 1960 e o movimento hippie.

Entre as vítimas estava a atriz Sharon Tate, esposa do diretor Roman Polanski, grávida de oito meses quando foi morta.

Manson foi condenado a prisão perpétua e segue preso.

Reverenciado como um dos diretores mais influentes da história do cinema, Tarantino foi responsável por filmes como Cães de Aluguel (1992), Pulp Fiction: Tempos de Violência (1994), Kill Bill: Vol. 1 e 2 (2003 e 2004), Bastardos Inglórios (2009).

O último trabalho de Tarantino foi Os Oito Odiados (2015), que venceu o Oscar de melhor trilha sonora original em 2016 e foi indicado nas categorias de melhor atriz coadjuvante, com Jennifer Jason Leigh, e direção de fotografia. EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.