Susan Sarandon sofreu ameaças por se opor à guerra

A atriz Susan Sarandon admitiu hoje que ela e sua família receberam ataques verbais e ameaças de morte da população por expressar sua oposição à Guerra do Iraque.Em declarações ao programa Jonathan Dimbleby da rede de televisão britânica "ITV", Sarandon reconheceu que sentiu medo pela forma tão "horrível" com que foi tratada por jornais, em ligações de cidadãos a programas de rádio e por pessoas na rua.Segundo afirmou a atriz, chegaram a qualificá-la como a "amante de Bin Laden" (o líder da rede Al Qaeda) por sua rejeição à intervenção aliada no Iraque, iniciada em março de 2003."Os jornais atacaram meus filhos", disse a atriz, acrescentando que nunca achou realmente que alguém poderia matá-la.Sarandon também criticou o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, por aproveitar os ataques de 11 de setembro de 2001 para justificar o conflito bélico.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.