Netflix
Benedict Cumberbatch como Phil Burbank em 'Ataque dos Cães', filme que recebeu doze indicações ao Oscar 2022. Netflix

Benedict Cumberbatch como Phil Burbank em 'Ataque dos Cães', filme que recebeu doze indicações ao Oscar 2022. Netflix

Surpresas na briga pelo Oscar: ‘Ataque dos Cães’ lidera lista formada por vários longas estrangeiros

Longa concorre, entre outros, como melhor filme, diretor, ator principal e ator coadjuvante; ‘Duna’ é o segundo, com dez

Mariane Morisawa , Especial para o Estadão

Atualizado

Benedict Cumberbatch como Phil Burbank em 'Ataque dos Cães', filme que recebeu doze indicações ao Oscar 2022. Netflix

Ataque dos Cães, de Jane Campion, saiu na frente na corrida pelo Oscar 2022. O filme distribuído pela Netflix concorre a 12 prêmios, tanto em categorias nobres quanto em técnicas. É um sinal de que o filme tem bom apelo na Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, que anunciou os indicados na terça, 8, em Los Angeles. A premiação ocorre no dia 27 de março.



Duna, de Denis Villeneuve, ficou em segundo, com dez indicações - a maioria nas categorias técnicas, como esperado. Belfast e West Side Story (Amor, Sublime Amor no Brasil) tiveram sete cada um.

Em um ano bastante forte de produções de línguas não inglesas, a Academia reconheceu cineastas do mundo todo. O dinamarquês Flee, de Jonas Poher Rasmussen, compete como melhor documentário, animação e produção internacional, um feito inédito. O japonês Drive My Car, de Ryûsuke Hamaguchi, também furou a bolha da categoria melhor produção internacional e conquistou ainda indicações para melhor filme, direção e roteiro adaptado de obra de Haruki Murakami. 

O longa, que ganhou o prêmio de roteiro em Cannes, foi eleito o melhor do ano pelas associações de críticos de Nova York e Los Angeles. Todos os filmes que conseguiram o feito - as duas associações costumam divergir bastante em suas premiações - também foram indicados a melhor produção do ano, mas nenhum era em outra língua e com três horas de duração. Um sinal de que, em um ano incerto, as premiações dos críticos fizeram a diferença. 

O norueguês A Pior Pessoa do Mundo, de Joachim Trier, também concorre a outro prêmio que não produção internacional: roteiro original. O espanhol Mães Paralelas, de Pedro Almodóvar, disputa melhor atriz (Penélope Cruz) e trilha sonora. No Oscar internacional, a inclusão de A Felicidade das Pequenas Coisas, de Pawo Choyning Dorji, é inesperada. É apenas a segunda vez que o Butão envia representante. 

É um ano de muitas surpresas. Lady Gaga, considerada certa por sua interpretação em Casa Gucci, foi esnobada. Caitríona Balfe, também forte como atriz coadjuvante, perdeu sua vaga para sua colega de elenco em Belfast, a veterana Judi Dench. Na mesma categoria, Jessie Buckley, a mãe jovem de A Filha Perdida, também surpreendeu. Denis Villeneuve parece ter cedido seu lugar para Hamaguchi em melhor direção. 

 

 

 

BALIZAS

As listas de indicados dos sindicatos de atores, produtores e diretores, entre outros, sempre foram consideradas boas balizas para o Oscar. Mas, neste ano, as divergências foram várias. No caso do Sindicato dos Atores (SAG), só na categoria melhor ator todos aparecem em ambas. Entre os coadjuvantes, apenas Troy Kotsur e Kodi Smit-McPhee também competem pelo SAG Awards. Os outros três - Ciarán Hinds, Jesse Plemons e J.K. Simmons - até apareciam em uma lista aqui e outra ali, mas são surpresas. 

Entre as atrizes, também: sem Lady Gaga e Jennifer Hudson (Respect) do SAG, com Penélope Cruz e Kristen Stewart no lugar. Das coadjuvantes, dentre as indicadas para o SAG só sobreviveram DeBose e Kirsten Dunst. 

Protestos como #OscarsSoWhite, se existirem, devem ser mais discretos - verdade que todas as concorrentes a melhor atriz são brancas. Mas, no total, são quatro atores negros entre as 20 indicações na categoria. Ariana DeBose é a primeira afro-latina a ser indicada. 

Em outros territórios de diversidade, há vários marcos. Troy Kotsur é o segundo ator surdo a ser indicado, 35 anos após sua companheira de elenco em No Ritmo do Coração, Marlee Matlin, ganhar o Oscar por Filhos do Silêncio

Ari Wegner (Ataque dos Cães) é a segunda diretora de fotografia a disputar o Oscar, depois de Rachel Morrison por Mudbound - Lágrimas Sobre o Mississippi em 2018. Se vencer, será o primeiro Oscar para uma mulher na categoria, a única a nunca ter premiado alguém do sexo feminino. 

Jane Campion conseguiu a oitava indicação de uma mulher para o troféu de direção, também por Ataque dos Cães. Ganhando, Campion será a terceira mulher a levar a estatueta de direção para casa - no ano passado, a ganhadora foi Chloé Zhao por Nomadland

Pela primeira vez na história, três roteiros adaptados assinados exclusivamente por uma mulher concorrem na categoria. Se a vitória for de Siân Heder (No Ritmo do Coração), Maggie Gyllenhaal (A Filha Perdida) ou Jane Campion (Ataque dos Cães), será a primeira vez desde 1995 (Emma Thompson, por Razão e Sensibilidade) que uma mulher ganha o Oscar na categoria sem ter parceria de um homem. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Oscar 2022: 'Ataque dos Cães' lidera com 12 indicações para o prêmio; veja lista completa

Longa concorre na categoria Melhor Filme e Direção; a cerimônia de entrega do Oscar será realizada presencialmente no dia 27 de março'

Redação, O Estado de S. Paulo

08 de fevereiro de 2022 | 10h31
Atualizado 23 de março de 2022 | 14h08

Os indicados ao Oscar 2022 foram anunciados na manhã desta terça-feira, 8, durante um evento transmitido online. O longa Ataque dos Cães, disponível na Netflix, recebeu 12 indicações, entre Melhor Filme, Melhor Ator, com Benedict Cumberbatch, Melhor Atriz Coadjuvante, com Kirsten Dunst, Melhor Ator Coadjuvante com Jesse Plemons e Jane Campion para Melhor DireçãoDuna vem em seguida, com 10, e Belfast e Amor, Sublime Amor com sete cada um.

Principal prêmio do cinema internacional, o Oscar volta a ter um apresentador este ano e será realizado no Dolby Theatre, em Los Angeles, no dia 27 de março. Esta é a 94.ª edição do prêmio da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas.

Um dos destaques nas nomeações é a atriz Judi Dench, que recebeu sua oitava indicação ao Oscar. Judi já levou uma estatueta como Melhor Atriz Coadjuvante por sua atuação em Shakespeare Apaixonado, em 1999, e é a atriz mais velha a disputar essa categoria de coadjuvante. Já Denzel Washington alcançou sua nona indicação, a terceira em cinco anos. O ator concorre na categoria Melhor Ator por sua atuação em A Tragédia de Macbeth.

Ainda entre os melhores atores, Troy Kotsur, de No Ritmo do Coração, se tornou o primeiro surdo indicado ao Oscar.

Deserto Particular foi escolhido pelo Brasil para representá-lo na categoria melhor filme internacional, mas o longa de Aly Muritiba não passou pela primeira fase da seleção, em dezembro. Já o curta Seiva Bruta não conseguiu passar de fase e não levou nenhuma indicação à estatueta. 

Veja a lista com os indicados ao Oscar 2022

Melhor Filme

  • Belfast
  • No Ritmo do Coração
  • Não Olhe Para Cima
  • Drive My Car
  • Duna
  • King Richard: Criando Campeãs
  • Licorice Pizza
  • O Beco do Pesadelo
  • Ataque dos Cães
  • Amor, Sublime Amor

Melhor Atriz

  • Jessica Chastain, por The Eyes of Tammy Faye
  • Olivia Colman, por A Filha Perdida
  • Penélope Cruz, por Mães Paralelas
  • Nicole Kidman, por Apresentando os Ricardos
  • Kristen Stewart, por Spencer

Melhor Ator

  • Javier Bardem, por Apresentando os Ricardos
  • Benedict Cumberbatch, por Ataque dos Cães
  • Andrew Garfield, por Tick, Tick... Boom!
  • Will Smith, por King Richard: Criando Campeãs
  • Denzel Washington, por A Tragédia de Macbeth

Melhor Ator Coadjuvante

  • Ciarán Hinds, por Belfast
  • Troy Kotsur, por No Ritmo do Coração
  • Jesse Plemons, por Ataque dos Cães
  • J.K. Simmons, por Apresentando os Ricardos
  • Kodi Smit-McPhee, por Ataque dos Cães

Melhor Atriz Coadjuvante

  • Jessie Buckley, em A Filha Perdida
  • Ariana DeBose, em Amor, Sublime Amor
  • Judi Dench, em Belfast
  • Kirsten Dunst, em Ataque dos Cães
  • Aunjanue Ellis, por King Richard: Criando Campeãs

Melhor Direção

  • Kenneth Branagh, por Belfast
  • Ryûsuke Hamaguchi, por Drive My Car
  • Paul Thomas Anderson, por Licorice Pizza
  • Jane Campion, por Ataque dos Cães
  • Steven Spielberg, por Amor, Sublime Amor

Melhor Filme Internacional

  • Drive My Car (Japão)
  • Flee (Dinamarca)
  • A Mão de Deus (Itália)
  • A Felicidade das Pequenas Coisas (Butão)
  • The Worst Person in the World (Noruega)

Melhor Roteiro Adaptado

  • Siân Heder, por No Ritmo do Coração
  • Ryûsuke Hamaguchi & Takamasa Oe, por Drive My Car
  • Jon Spaiths, Denis Villeneuve & Eric Roth, por Duna
  • Maggie Gyllenhaal, por A Filha Perdida
  • Jane Campion, por Ataque dos Cães

Melhor Roteiro Original

  • Kenneth Branagh, por Belfast
  • Adam McKay, por Não Olhe Para Cima
  • Zach Baylin, por King Richard: Criando Campeãs
  • Paul Thomas Anderson, por Licorice Pizza
  • Eskil Vogt & Joachim Trier, por The Worst Person in the World

Melhor Figurino

  • Jenny Beavan, por Cruella
  • Massimo Cantini Parrini & Jacqueline Durran, por Cyrano
  • Jacqueline West & Robert Morgan, por Duna
  • Luis Sequeira, por O Beco do Pesadelo
  • Paul Tazewell, por Amor, Sublime Amor

Melhor Trilha Original

  • Nicholas Britell, por Não Olhe Para Cima
  • Hans Zimmer, por Duna
  • Germaine Franco, por Encanto
  • Alberto Iglesias, por Mães Paralelas
  • Jonny Greenwood, por Ataque dos Cães

Melhor Animação

  • Encanto
  • Flee
  • Luca
  • A Família Mitchell e a Revolta das Máquinas
  • Raya e o Último Dragão

Melhor Curta de Animação

  • Affairs of the Art
  • Bestia
  • Boxballet
  • Robin Robin
  • The Windshield Wiper

Melhor curta em live-action

  • Ala Kachuu - Take and Run
  • The Dress
  • The Long Goodbye
  • On My Mind
  • Please Hold

Melhor documentário

  • Ascension
  • Attica
  • Flee
  • Summer of Soul (... ou Quando a Revolução Não Pode Ser Televisionada)
  • Writing with Fire

Melhor Documentário em Curta-metragem

  • Audible
  • Lead Me Home
  • The Queen of Basketball
  • Three Songs for Ben Azir
  • When We Were Bullies

Melhor fotografia

  • Greig Fraser, por Duna
  • Dan Lautsen, por O Beco do Pesadelo
  • Ari Wegner, por Ataque dos Cães
  • Bruno Delbonnel, por A Tragédia de Macbeth
  • Janusz Kominski, por Amor, Sublime Amor

Melhor montagem

  • Hank Corwin, por Não Olhe Para Cima
  • Joe Walker, por Duna
  • Pamela Martin, por King Richard: Criando Campeãs
  • Peter Sciberras, por Ataque dos Cães
  • Myron Kerstein & Andrew Weisblum, por Tick, Tick... Boom!

Melhor cabelo e maquiagem

  • Um Príncipe em Nova York 2
  • Cruella
  • Duna
  • The Eyes of Tammy Faye
  • Casa Gucci

Melhor canção original

  • Be Alive - King Richard: Criando Campeãs
  • Dos Oruguitas - Encanto
  • Down to Joy - Belfast
  • No Time to Die - 007 - Sem Tempo Para Morrer
  • Somehow You Do - Four Good Days

Melhor design de produção

  • Patrick Vermette, por Duna
  • Tamara Deverell, por O Beco do Pesadelo
  • Grant Major, por Ataque dos Cães
  • Stefan Decbant, por A Tragédia de Macbeth
  • Adam Stockhausen, por Amor, Sublime Amor

Melhores efeitos especiais

  • Duna
  • Free Guy: Assumindo o Controle
  • 007 - Sem Tempo Para Morrer
  • Shang-Chi e a Lenda dos Dez Anéis
  • Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

Melhor som

  • Belfast
  • Duna
  • 007 - Sem Tempo Para Morrer
  • Ataque dos Cães
  • Amor, Sublime Amor
Tudo o que sabemos sobre:
Oscar [prêmio de cinema]cinema

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Análise: 'Ataque dos Cães' é o melhor filme pelo conjunto da obra

Seus maiores triunfos são originalidade, força e mise-in-scène inspirada

Luiz Zanin Oricchio, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2022 | 13h03

Com 12 indicações, inclusive a de Melhor Filme, Ataque dos Cães confirma seu favoritismo para o Oscar de 2022. Tem ainda as indicações de melhor direção (Jane Campion), ator (Benedict Cumberbatch), ator coadjuvante (Kodi Smit-McPhee), atriz coadjuvante (Kirsten Dunst), roteiro adaptado (Campion) e etc. Cercou por todos os lados para uma grande consagração dia 27 de março, na cerimônia de entrega das estatuetas. 

Obviamente, seus maiores trunfos são a originalidade, a força, a mise-en-scène inspirada, a qualidade de seus intérpretes. Quer dizer, o conjunto da obra. 

Tem concorrentes de peso? Com certeza. A começar - para falar apenas em qualidade - do maravilhoso Drive My Car, de Ryusuke Hamagushi, que também concorre como diretor. É um queridinho da crítica, com toda justiça. Seu cinema intimista, neste caso baseado em conto de Haruki Murakami, complexo e emotivo (porém contido) é digno de toda atenção. Mas dificilmente derrota Ataque dos Cães. Seria uma zebra. 

Há outros títulos fortes. O Beco do Pesadelo, de Guillermo del Toro, é soturno e assustador em sua dura prospecção da natureza humana. Steven Spielberg é um grande nome da Academia e sua recriação do clássico musical Amor Sublime Amor é digna de todo respeito. O distópico Não Olhe para Cima abafou na Netflix e é muito bom. Mas deve ficar por aí. Belfast é um trabalho memorialístico de Kenneth Branagh que não receia cair no artificialismo e no registro teatral. Muito bom, mas não para todos os gostos. King Richard: Criando Campeãs mostra a trajetória das tenistas Venus e Serena Williams pelo ponto de vista do pai que as criou e assessorou. Bacana, mas acho que não tem força para ir mais longe. Duna, para dizer com franqueza, sobressai mais pelos aspectos técnicos particulares que pelo conjunto. 

Para o troféu de melhor direção, a favorita é mesmo Jane Campion por seu Ataque dos Cães. Tem nomes fortes pela frente - Spielberg, Hamaguchi, Paul Thomas Anderson (por Licorice Pizza) e Branagh. Mas se apostarmos no favoritismo de Ataque dos Cães para melhor filme, o normal é que a cineasta faça a dobradinha como melhor diretora. 

Na categoria de Melhor Atriz a disputa é muito equilibrada. Penélope Cruz (Mães Paralelas) e Olivia Colman (A Filha Perdida) seriam boas escolhas. Mas, correndo por fora, há Kristen Stewart (Spencer) pela entrega na interpretação de uma atormentada Princesa Diana

Como Melhor Ator, parece não haver outro nome que Benedict Cumberbatch por sua desconstrução da masculinidade tóxica em Ataque dos Cães. Embora Denzel Washington faça um grande trabalho em A Tragédia de Macbeth

Na categoria Melhor Filme Internacional, o favorito disparado é o japonês Drive My Car. O italiano A Mão de Deus e o norueguês A Pior Pessoa do Mundo são também muito bons. Vale um destaque para A Felicidade das Pequenas Coisas, do Butão, que chegou mais longe do que se poderia esperar. Sua força é a comovente simplicidade em contraste com este nosso mundo cada vez mais complexo, incompreensível e ameaçador. Quem sabe não aconteça aqui a grande surpresa da noite de premiação?

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Análise: Oscar 2022 enfrenta o desafio de premiar novamente uma diretora, agora Jane Campion

Depois de Chloé Zhao no ano passado, a neozelandesa merece muito mais pela direção de 'Ataque dos Cães'

Luiz Carlos Merten, Especial para o Estadão 

08 de fevereiro de 2022 | 12h15

Mais de 60 anos depois que West Side Story, a versão de Robert Wise e Jerome Robbins, fez história no Oscar, vencendo em dez categorias e ainda somando uma estatueta especial para a coreografia de Robbins, a nova versão do musical de Leonard Bernstein e Stephen Sondheim está de novo na disputa, concorrendo a melhor filme e direção. Steven Spielberg! Por mais merecido que seja, o filme terá uma dura concorrência. 

Em mais de 90 anos de Oscar - 94 -, a Academia premiou apenas duas mulheres na categoria de direção. Kathryn Bigelow, por Guerra ao Terror, em 2010, e Chloé Zhao, no ano passado, por Nomadland. Com todo respeito, nem Chloé nem Nomadland eram as melhores. A questão agora é: a Academia premiará mulheres dois anos seguidos? Pois Jane Campion e seu Ataque dos Cães são, indiscutivelmente, os melhores deste ano, filme e direção. Ataque dos Cães, que lidera a lista de indicações do Oscar e está em 12 categorias,  também concorre a melhor roteiro adaptado, melhor ator, Benedict Cumberbatch – que já ganhou por antecipação -, e ainda emplacou três coadjuvantes: Kirsten Dunst, Jesse Plemons e Kodi Smit-McPhee. 

A Espanha deve estar em festa, porque o casal 20 do cinema espanhol, Penélope Cruz e Javier Bardem, concorre a melhor atriz e ator, ela pelo Almodóvar, Mães Paralelas, ele, por Apresentando os Ricardos. Esnobada em várias premiações, Kristen Stewart foi indicada por sua extraordinária interpretação como a Princesa Diana em Spencer, do chileno Pablo Larraín. Se ela vai ganhar ainda é uma incógnita, mas merece.

Talvez a maior surpresa nas indicações deste ano tenha vindo do Japão. Ryusuke Hamaguchi cravou quatro indicações por Drive My Car, que adaptou de Haruki Murakami. Melhor filme internacional, melhor roteiro adaptado, melhor direção e melhor filme. Coincidentemente, as mesmas a que Bong Joon-ho foi indicado (e venceu) em 2020. Para ter um gostinho do talento desse grande diretor, basta ver Roda do Destino, em cartaz nos cinemas. 

A cerimônia está apontada para 27 de março. Até lá, rolarão muitas apostas e preferências. Não Olhe para Cima, de Adam McKay, O Beco do Pesadelo, de Guillermo del Toro, Belfast, de Kenneth Branagh, e Duna, de Denis Villeneuve, cravaram muitas indicações, mais até do que mereciam, mas isso faz parte do Oscar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Oscar 2022: Veja onde assistir aos principais filmes indicados

Confira o trailer das obras que disputam nas categorias mais importantes, incluindo Melhor Filme

Redação, O Estado de S.Paulo

22 de março de 2022 | 10h00

Os indicados ao Oscar de Melhor Filme de 2022 foram conhecidos na manhã desta terça-feira, 8. Entre as produções, há algumas disponíveis para assistir em serviços de streaming como Netflix, Amazon Prime Video e HBO Max, além de outros em cartaz no cinema ou com previsão de estreia nos próximos tempos. A edição do Oscar será transmitida na televisão pelos canais pagos TNT e TNT Series. A Globo não vai transmitir pelo seu canal de TV aberta, mas pelo Globoplay, com acesso liberado para não assinantes.

Confira mais detalhes, assista aos trailers e saiba onde ver os filmes indicados ao Oscar 2022.

 

Belfast

Considerado um dos melhores filmes de 2021, Belfast aborda a turbulenta década de 1960 na Irlanda do Norte pela ótica de um garotinho de nove anos, Buddy (Jude Hill), com fotografia em preto e branco e citação ao separatismo presente na ilha. Com direção de Kenneth Branagh, o elenco do filme conta ainda com Caitriona Balfe, Judi Dench, Jamie Dornan, Ciaran Hinds e Jude Hill. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Roteiro Original, Melhor Som e Melhor Canção Original .

Belfast estreia nos cinemas do Brasil em 10 de março de 2022. Assista ao trailer abaixo:

 

 

 

Duna

O remake da ficção científica com orçamento de US$ 165 milhões aborda a jornada heroica de um jovem lidando com religião, política, destino, herança, meio ambiente, colonialismo e minhocas espaciais gigantes era uma obsessão do diretor Dennis Villeneuve desde a sua juventude. Com orçamento de US$ 165 milhões. No elenco constam nomes como, Timothée Chalamet, ZendayaRebecca Ferguson, Oscar Isaac, Jason Momoa, Josh Brolin, Javier Bardem e Charlotte Ramping. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Original, Melhor Figurino, Melhor Fotografia e Melhor Montagem.

Duna está disponível para assistir no streaming pelo HBO Max, Apple TV+ e YouTube.

Assista ao trailer de Duna:

 

 

 

Licorice Pizza

Licorice Pizza mostra as idas e vindas e a complexidade do amor entre amigos de juventude, Alana Kane e Gary Vallentine, nos anos 1970. Escrito e dirigido por Paul Thomas Anderson, o filme traz Alana Haim e Cooper Hoffman como o casal de protagonistas, e um elenco de peso com Sean Penn, Bradley Cooper, Tom Waits e Benny Safdie. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Roteiro Original.

O longa tem estreia prevista para 17 de fevereiro de 2022 nos cinemas brasileiros. Assista ao trailer abaixo:

 

 

 

Ataque dos Cães

Fugindo dos clichês de filmes de faroeste, o filme da diretora Jane Campion traz dois irmãos administradores de uma fazenda em Montana, nos Estados Unidos, que possuem temperamentos opostos, George (Jesse Plemons) e Phil (Benedict Cumberbatch). O equilíbrio entre a dupla chega ao fim quando George se casa com a viúva Rose (Kirsten Dunst), mãe de um adolescente, Peter (Kodi Smit-McPhee). A partir daí, Phil tenta sabotar o casamento do irmão. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Roteiro Adaptado, Melhor Trilha Original, Melhor Fotografia e Melhor Montagem.

Ataque dos Cães está disponível para assistir na Netflix. Confira o trailer abaixo:

 

 

 

Amor, Sublime Amor

Com um início capenga em termos de bilheteria, o remake de West Side Story, musical de 1957 que rendeu 10 Oscars em sua primeira adaptação ao cinema, em 1961, transporta o drama shakesperiano de Romeu e Julieta para a cidade de Nova York, nos Estados Unidos, nos anos 1950. Tony (Ansel Elgort) é um ex-membro da gangue Jets, composta por descendentes de europeus, e se apaixona por Maria (Rachel Zegler), irmã do líder da gangue Sharks, de porto-riquenhos. Com direção de Steven Spielberg, conta com músicas feitas por Leonard Bernstein e Stephen Sondheim, morto em 2021. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Figurino e Melhor Fotografia.

Amor, Sublime Amor está em cartaz nos cinemas do Brasil desde dezembro de 2021.

 

 

 

No Ritmo do Coração

O longa mostra a história de Ruby, adolescente que é a única que ouve em uma família surda. Tímida, se inscreve no coral da escola e acaba descobrindo um grande talento musical ao lado de seu professor, enquanto se vê diante do dilema do quanto se afastar da própria família. Dirigido por Siân Heder, conta com Emilia Jones, Marlee Matlin, Eugenio Derbez, Troy Kotsur e Daniel Durant no elenco. Concorre nas categorias de Melhor Filme e Melhor Roteiro Adaptado.

No Ritmo do Coração está disponível para assistir no Amazon Prime Video e YouTube.

 

 

 

King Richard: Criando Campeãs

Will Smith estreia a trama baseada na entrada de Venus e Serena WIlliams no mundo do tênis durante a juventude sob a ótica de seu pai e técnico, Richard Williams. Dirigido por Reinaldo Marcus Green, o filme ainda traz Aunjanue Ellis, Saniyaa Sidney e Demi Singleton no elenco. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Montagem, Melhor Canção Original e Melhor Roteiro Original.

Além de ter sido lançado nos cinemas, King Richard: Criando Campeãs está disponível para assistir no HBO Max, Apple TV+ e YouTube.

Veja o trailer:

 

 

 

Não Olhe Para Cima

Pensado inicialmente como uma crítica ao negacionismo do aquecimento global, o filme proporcionou ao público diversas reflexões em relação à pandemia de covid-19. A história mostra dois cientistas que, ao descobrirem um cometa em rota de colisão com a Terra, vão à imprensa e ao governo clamar por ajuda - mas acabam recebendo reações diferentes das esperadas. Com Leonardo DiCaprio, Jennifer Lawrence, Meryl Streep, Rob Morgan, Cate Blanchett e Jonah Hill e direção de Adam McKay. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Trilha Original, Melhor Montagem e Melhor Roteiro Original.

Não Olhe Para Cima está disponível para assistir na Netflix.

Confira o trailer:

 

 

 

Casa Gucci

Dirigido por Ridley Scott e com Lady Gaga e Adam Driver como protagonistas, o longa aborda as relações da família Gucci tendo como foco o assassinato real de Maurizio Gucci por parte de sua ex-mulher, Patrizia Reggiani. O elenco ainda conta com Al Pacino, Jared Leto, Jeremy Irons, Salma Hayek e Camille Cottin. Concorre nas categorias de Melhor Cabelo e Maquiagem.

Casa Gucci está em cartaz nos cinemas brasileiros.

 

 

 

Tick, Tick... Boom!

Ambientado nos anos 1990, o filme dirigido por Lin-Manuel Miranda é uma adaptação do musical autobiográfico de Jonathan Larson, autor da peça Rent, e traz Andrew Garfield como o protagonista, um garçom de Nova York em meio à epidemia de AIDS que, às vésperas de criar um grande musical, se depara com questões envolvendo a namorada, Susan, e um amigo, Michael.

O elenco de Tick, Tick... Boom! ainda conta com Alexandra Shipp, Robin de Jesús, Joshua Henry, Vanessa Hudgens, Judith Light, MJ Rodriguez e Bradley Whitford.

O filme pode ser visto na Netflix. Concorre nas categorias de Melhor Montagem.

 

 

 

Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa

O fechamento da trilogia estrelada por Tom Holland revisita alguns vilões icônicos do super-herói da Marvel. Com direção de Jon Watts, o filme foi um sucesso nas vendas, se tornando a 6ª maior bilheteria da história do cinema mundial até hoje. Concorre nas categorias de Melhores Efeitos Especiais.

Disponível nos cinemas, Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa deve ficar disponível no streaming HBO Max, ainda sem previsão de estreia.

Assista ao trailer abaixo:

 

 

 

007: Sem Tempo Para Morrer

Último filme do espião britânico protagonizado por Daniel Craig, a sequência de ação mostra James Bond aproveitando a aposentadoria da vida de agente secreto na Jamaica quando Felix Leiter, um velho amigo da CIA, lhe pede ajuda em missão de resgate a um cientista sequestrado. Concorre nas categorias de Melhor Canção Original, Melhores Efeitos Especiais e Melhor Som.

Com direção de Cary Joji Fukunaga, tem também Ana de Armas, Dali Benssalah, David Dencik, Ralph Fiennes e Léa Seydoux no elenco.

007: Sem Tempo Para Morrer está disponível para assistir no YouTube, AppleTV+ e Amazon Prime Video.

Assista ao trailer:

 

 

 

O Beco do Pesadelo

Quando o carismático, mas sem sorte, Stanton Carlisle se torna querido para a vidente Zeena e o seu marido mentalista Pete numa feira itinerante, ele ganha um bilhete dourado para o sucesso, usando o conhecimento adquirido com eles para ludibriar a elite rica da sociedade de Nova Iorque dos anos 1940. Com a virtuosa Molly lealmente ao seu lado, Stanton planeja enganar um magnata perigoso com a ajuda de uma psiquiatra misteriosa que pode vir a ser sua melhor adversária. Concorre nas categorias de Melhor Filme, Melhor Figurino e Melhor Fotografia.

Com direção de Guillermo Del Toro, o filme conta com Bradley Cooper, Cate Blanchett, Rooney Mara e Toni Colette.

O Beco do Pesadelo segue disponível nos cinemas.

 

 

Being The Ricardos 

 

Os atores Nicole Kidman e Javier Bardemestão no elenco de Being the Ricardos, que trata do ícone de Hollywood Lucille Ball e de Desi Arnaz, que estrearam a clássica série cômica norte-americana I Love Lucy e também eram um casal fora da tela. Tony Hale, que interpreta o produtor-executivo do seriado, Jess Oppenheimer, disse que as plateias não precisam conhecer I Love Lucy para assistir ao filme, que foi escrito e dirigido por Aaron Sorkin. Disponível no Amazon Prime Video

Encanto 

 “Dois metros de altura, ratos nas costas”, um adolescente de cabelos encaracolados envolto numa capa canta para a câmera. “Ele me faz lembrar o som da areia caindo”, uma mãe ocupada balança a cabeça fazendo que sim e sai dançando na cozinha, com o aspirador de pó nas mãos. “Desculpe, mi vida, vá em frente!”, duas irmãs dizem com um gritinho, perigosamente desafinadas. Encanto avisou que não era para falar sobre Bruno, mas muita gente está obcecada com uma música que fala sobre ele desde que o filme animado da Disney estreou nos cinemas em novembro e chegou ao Disney+

Drive my car 

Ryûsuke Hamaguchi estava em um voo entre Tóquio e Berlim, onde participaria do júri do festival de cinema, quando saíram os concorrentes ao Oscar. Além da esperada indicação para melhor produção internacional, seu Drive My Car estava entre os finalistas nas categorias melhor roteiro adaptado, direção e filme – um feito inédito para um longa japonês. Quando ele desembarcou na Alemanha, havia dezenas de mensagens em seu celular. “Foi como se tivesse entrado em um mundo diferente”, disse Hamaguchi ao Estadão, por videoconferência. “Mas este é o mundo em que estou vivendo, então estou tentando aproveitar e me sinto feliz de estar aqui.” Drive My Car estreou nos cinemas do Brasil no dia  17.

A mão de Deus

O novo filme de Paolo Sorrentino, disponível na Netflix,  não é uma cinebiografia de Diego Armando Maradona. Interpretado por um ator (Daniele Vicorito), Maradona tem aparição fugaz neste que é, de fato, um filme memorialístico do napolitano Paolo Sorrentino. Através de Maradona, Sorrentino fala de si mesmo e de sua cidade.

A tragédia de Macbeth

A Tragédia de Macbeth, é uma versão sombria e fantasmagórica da peça de Shakespeare, apresentado em preto e branco. O filme, lançado nos cinemas em dezembro e na Apple TV+ , é estrelado por Denzel Washington como o nobre assassino do título e Frances McDormand como sua esposa ardilosa, Lady Macbeth. Já recebeu inúmeros aplausos na pós-temporada e faturou três indicações ao Oscar: nas categorias de melhor ator (com Denzel Washington), fotografia e design de produção.

Luca 

Segundo a Nielsen, a animação da Pixar Luca, Disney+, foi o filme mais assistido de 2021, com mais de 10,5 bilhões de minutos transmitidos. Sucesso certeiro do estúdio que apostou na história de amizade entre dois garotos que sonham em pilotar uma vespa. Luca é o nome de um, a criatura fantástica do mar. Soma-se à dupla uma garotinha que vai os ajudar a ganhar um concurso de um valentão e ensinar sobre afeto e superar os desafios. 

 

Mães Paralelas 

Pedro Almodóvar causou frenesi no público quando o Instagram censurou o poster do filme Mães Paralelas, que conta a história de duas mulheres solteiras, Janis (Penélope Cruz), em seus 40 anos, e Ana (Milena Smit), uma adolescente, que se conhecem na maternidade, quando estão para dar à luz seus primeiros filhos. Nenhum dos bebês foi planejado. A partir dali, forma-se uma relação cheia de complexidades entre as duas mulheres. Almodóvar  já havia tido a ideia de contrapor as mães paralelas com a história mais ampla da Espanha, abordando as valas comuns de combatentes da Guerra Civil (1936-1939). O filme está disponível na Netflix

A Filha Perdida 

Rola nas redes uma certa polêmica em torno de A Filha Perdida, filme adaptado do romance de Elena Ferrante por Maggie Gyllenhaal. Espectadores iniciaram um debate sobre maternalismo, envolvendo a protagonista, que divide opiniões por não ser um exemplo de mão. A personagem de Gyllenhaal também ganhou os que a consideram uma anti-heroína. O filme está disponível na Netflix

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.