Superwestern de Sam Peckinpah tem venda direta

Faz quase dez anos que saiu no Brasil (em outubro de 1991) o director´s cut de Meu Ódio Será Sua Herança. Só agora o superwestern de Sam Peckinpah está sendo colocado à venda para o público de vídeo. Vale adquirir. Como o futuro é digital, é mesmo possível e até provável que o DVD termine substituindo o vídeo, como o CD substituiu o vinil. Mas ambos devem coexistir ainda por um bom tempo, durante o qual valerá a pena ter o clássico de Peckinpah numa videoteca particular.É um dos grandes filmes de "machos" da história do cinema. Não agrada particularmente às mulheres e é detestado pelas feministas, mas se você é homem e alguma vez foi fã de western não poderá deixar de se emocionar com The Wild Bunch (título original - O Bando Selvagem). É tempo, porém, de as mulheres deixarem seus preconceitos de lado e verem nesse filme o que ele é - a obra-prima de um dos mais atormentados diretores de cinema dos EUA.Quando foi lançado nos cinemas, Meu Ódio Será Sua Herança desconcertou o público e os críticos por sua violência. O diretor teve de cortar mais de 30 minutos de cenas. Desses, 16 foram recuperados e compõem o que de mais próximo se chegou da versão do autor - o director´s cut. É essa a versão lançada há nove anos e agora disponível em sell thru. O espectador também encontra a integral de Meu Ódio Será Sua Herança em DVD da Warner, com a diferença de que aí o título sofre uma pequena alteração e ficou Meu Ódio Será TUA Herança.O que o filme ganhou de acréscimo não altera o conceito, embora talvez esclareça mais certos pontos. Como as cenas nas quais Pike Bishop, o personagem de William Holden lembra como foi ferido, alguns momentos da bebedeira de Mapache, interpretado pelo ator e diretor mexicano Emilio Fernandez, o lendário Índio Fernandez, e quadros da batalha final. Tudo isso agora é lucro. A essência é que não foi alterada - a violência e a desobediência, o tempo petrificado de marginais que são atropelados pela história e pela nova ordem, esses temas que sempre foram fundamentais para Peckinpah (desde o cultuado Pistoleiros do Entardecer) ganham sua versão definitiva em Meu Ódio Será Sua Herança.Críticos às vezes são constrangedores pela banalidade de suas observações ou pela forma como repetem, sem discuti-las, meias-verdades. Quando Peckinpah morreu, ou sempre que algum filme seu é reprisado nos cinemas ou na TV, fala-se muito no poeta da violência, no homem que inventou as explosões de violências filmadas em câmera lenta (e que John Woo explora até hoje). Peckinpah foi mais do que isso. Grande artista, viveu às turras contra um sistema (a Hollywood dos grandes estúdios) que não aceitava a sua necessidade de liberdade de expressão. Pistoleiros do Entardecer, Juramento de Vingança (Major Dundee) e Meu Ódio Será Sua Herança foram todos cortados, Sob o Domínio do Medo teve problemas com a censura de diversos países.Como existiu o Índio Fernandez, nosso homem também poderia ser chamado de Índio Peckinpah, pois ele descendia de autênticos peles-vermelhas. O pai, o avô, um irmão foram todos juízes da Suprema Corte americana, Peckinpah cresceu ouvindo histórias sobre lei e ordem. Escolheu a desobediência como forma de expressão - um pouco na vida e, mais ainda, na arte. O Velho Oeste, nos filmes de Peckinpah, não é mais o da lenda. Seus personagens são desgarrados como Pike Bishop, à frente do seu bando selvagem que vive de pilhar a ferrovia. Só que, quando o filme começa, essa, como expressão do novo tempo ou da nova ordem, já está vitoriosa. Não há mais mocinhos, pelo menos no sentido tradicional. A ferrovia coloca em campo seus sicários, à frente Robert Ryan. Só o que sobra para os pistoleiros que vivem o fim de sua época são os conceitos de amizade e de honra (um código muito particular) ou a mística do grupo, que rege suas ações. É um raro e grande filme, o maior do autor.Meu Ódio Será Sua Herança (The Wild Bunch) EUA, 1968.Warner.Vídeo e DVD, venda direta. R$ 28 e 38.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.